Adubo de coco
Um problema ambiental criou uma oportunidade de negócio para produtores de coco do litoral de São Paulo. A casca, que antes ia para o lixo, agora é beneficiada e transformada em adubo.

Na praia do Felix, no município de Ubatuba, a casca do coco incomodava. Só na temporada de verão a associação de moradores

recolhe 40 toneladas do material.

Como depois de aberto acumula água, o coco vira criadouro para o mosquito que transmite a dengue. A solução foi comprar uma

máquina que transforma carcaça em fibras distribuídas entre os moradores, que usam como cobertura de solo.

“Você transforma uma resíduo em matéria orgânica que pode ser transformada em adubo, em lenha, em revestimentos de bancos de

automóveis e em xaxim. Então, tem esse ponto favorável”, falou Mário Macedo, presidente da Associação dos Moradores da praia

do Félix.

Na praia do Félix a fibra do coco foi a solução para um problema ambiental. Mas esse é um produto que tem mais vantagens. No

sítio do comerciante Miguel Yamada, triturar coco virou um negócio. “No Japão, fazem o adubo orgânico com a palha de arroz.

Eu achei que dava para fazer com o coco, que tem uma fibra mais resistente. E acabou dando certo”, disse.

Tanto a casca como os talos e folhas são moídos. Tudo vai para a propriedade do vizinho. “Eu trabalho com restaurante. Mas

não tinha como trabalhar com o restaurante e criar os porcos por causa do mau cheiro. Agora, com a entrada do triturado de

coco, trabalhamos com os porcos e com o restaurante”, contou o agricultor Rogério Castilho.

O coco foi colocado no chão do chiqueiro e o mau cheiro sumiu. Tanto que Rogério está ampliando a criação. Em 20 dias, as

fezes e o pisoteio dos animais enriquecem o coco. Então, é só retirar o material e colocar para curtir. O adubo orgânico já

tem destino certo. É comprado pelo fornecedor de coco da cidade, que leva todo adubo para a plantação na Bahia.

“Antes, a gente usava na fazenda muito esterco de boi. O esterco de boi é muito quente. Quando passamos a usar o adubo

orgânico do coco, foi surpreendente a expectativa. Isso sem falar na ajuda ao meio ambiente”, disse o comerciante Válter

O saco de adubo orgânico, com 50 quilos, vale R$ 12,00.

Fonte: Globo Rural em 31/03 -por Santos Nunes.

 


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+