Produção orgânica de citros é destaque na região

Desde 2014 o trabalho desenvolvido nos pomares de citrus tem sido intensificado no município de Abdon Batista, tanto que a produção orgânica tem sido destaque na região. A expectativa é de que neste ano a produção chegue a 120 toneladas da fruta. Daqui há alguns anos quando as plantas irão atingir o pico de produção, com a expectativa de durabilidade da planta de 15 a 20 anos, chegará a média de 20 a 30 toneladas de citros por hectare. Neste período houve um salto de 3 para 9 famílias produtoras de citrus. Alguns produtores tem ate mesmo abandonado outras culturas para dedicar o trabalho a plantação de laranja e tangerina. Os produtores Rogério e Manoel Rosa são um exemplo disso, eles a pouco tempo plantavam feijão, milho, fumo, passando pela produção de melancia e morangos cultivados de forma convencional, hoje se dedicam totalmente à produção orgânica de citros.

O trabalho desenvolvido nas duas propriedades, que somam juntas 30 hectares, estão situadas na comunidade de Bom Jesus em Abdon Batista, chama a atenção pela qualidade e beleza das laranjas e tangerinas produzidas e pelo cuidado e amor dedicados ao cultivo. Os pomares foram implantados em 2014 objetivando a saúde da família e dos consumidores, além de agregar valor às frutas produzidas. Na implantação o investimento foi de 15 mil reais por hectare e para manutenção 10 mil reais anualmente. “Utilizamos defensivos biológicos ou naturais, além de utilizar técnicas de manejo orgânico. Sabemos que estamos produzindo alimentos de qualidade e preocupados com a nossa saúde e de do consumidor. O trabalho é maior, precisamos de mais manejo, mas tudo compensa”, destaca Manoel Rosa.

O investimento na produção de citrus tem sido recompensador para as famílias, e a intenção é que o trabalho continue por muito tempo, e os filhos são os precursores deste trabalho continuo. O produtor Rogério comenta que desde que iniciou a produção, sua intenção é de que em 5 a 7 anos veja seus filhos morando e trabalhando na propriedade. “Em 2 anos vamos colher mais e vender a um preço competitivo, e espero ter os meus três filhos, genro e nora trabalhando ao meu lado”, declarou. Odair Rosa, filho de Rogério, é engenheiro agrônomo e desde já se dedica ao trabalho e acredita na sucessão familiar e na sequência dos investimentos na produção orgânica. “Quando for para renovar o pomar, com certeza daremos continuidade”, afirmou.

Apesar de o investimento ser privado, os produtores rurais contam com o auxilio e apoio da Enercan, da Prefeitura Municipal através da Secretaria de Agricultura e da Epagri, que disponibiliza a assistência técnica para os produtores. Os produtores tem acesso ao PRONAF através de projeto de custeio para acessar o recurso financeiro para a produção da safra anual e são realizadas visitas nas propriedades aonde é feito um acompanhamento e orientação no processo de produção e comercialização. O extensionista rural da Epagri, Adelino Cristiano Paulo, explica que a cultura agrega valor a pequena propriedade e que a produção gera um impacto positivo. “O cultivo de produtos orgânicos na pequena propriedade rural se apresenta como um sistema produtivo que visa a sustentação e fortalecimento da Agricultura Familiar, objetivando a oferta de alimentos saudáveis e a preservação ambiental”, destacou. A produção das frutas é destinada ao mercado nacional.

O saldo positivo do trabalho da agricultura familiar abre a oportunidade para que os jovens fiquem em sua propriedade, já que em alguns casos, os filhos de produtores migram para outros segmentos e até abandonam a propriedade. Para dar o incentivo devido a esses jovens, a Epagri, através de projetos de pecuária, fruticultura e Capital humano e social, tem fortalecido a agricultura familiar e os vínculos familiares para a sucessão da propriedade.

Fonte:Jornal o Celeiro, edição 1584 de 27 de junho de 2019.

Etiquetas (Categorias - tags)

Leia Mais:



SIGA-NOS

TwiiterfeedFacebook"Whatsapp 88 9700 9062"pinterestlinkedinInstagramYoutube