Notável: o Chile já supera as exportações realizadas em 2017 de produtos orgânicos para a União Européia


US$ 49 milhões de dólares em produtos orgânicos são enviados do Chile para a União Européia no período de janeiro a agosto deste ano. Provavelmente o número não lhe diz muito, mas você deve saber que isso significa que a quantidade de remessas que foram feitas aos países do bloco durante o ano passado, quando totalizaram US$ 42 milhões, já foi excedida.

Essas figuras auspiciosas acompanham o país em uma nova apresentação na SIAL Paris Fair, que ocorre entre os dias 21 e 25 de outubro e reúne toda a indústria de alimentos e as últimas tendências alimentares do mundo. Este ano espera-se a visita de mais de 160 mil pessoas e 7 mil expositores de 109 países.

E o Chile apresenta pela primeira vez um pavilhão de orgânicos, com seis empresas que fabricam suco liofilizado, aveia, condimentos, alimentos processados, como polpas de frutas e frutas congeladas. Esta é a primeira do país em uma feira desse tipo, respondendo à crescente demanda dos consumidores desses produtos no velho continente e, portanto, aos importadores por terem oferta de qualidade e reconhecidos na União Européia.

"Este ano, o acordo de equivalência de comércio orgânico entrou em vigor na União Européia, onde o bloco não apenas reconhece o Chile como parceiro comercial, mas também como produtor inócuo com garantia internacional. No período de janeiro a agosto de 2018, nossas exportações orgânicas para o mercado já superam o total enviado em 2017 e ainda temos mais quatro meses para contabilizar. Sem dúvida é um grande avanço para este setor e para as exportações de alimentos chilenos ", disse o diretor do ProChile, Jorge O'Ryan.

A IMPLANTAÇÃO DO CHILE NA FRANÇA

O país também possui outros dois pavilhões, um na agroindústria, no qual 31 empresas produtoras de castanhas, frutas desidratadas e congeladas, entre outras, apresentam essa oferta, que tem como principal destino o continente europeu. E o terceiro, na área chamada de salão nacional, com espaços de ProChile, InvestChile e guildas representando nozes e ameixas desidratadas.

A esta presença é adicionada uma delegação de nove empresas das regiões Biobío e Ñuble, que participam da prospecção de negócios futuros e sabem mais sobre esta feira para apresentações futuras.

"Esta é a primeira vez que separamos o pavilhão chileno, para estarmos em setores especializados. Sabemos que isso permitirá que as empresas que participam da feira estejam exatamente onde os negócios são desenvolvidos. Estamos muito expectantes do que pode ser alcançado para a nossa indústria que em 2017 exportou mais de US$ 15.700 milhões e que todos os dias é reconhecido, não só pela sua qualidade, mas também pela inovação e tecnologia aplicada no seu desenvolvimento ", O'Ryan explicou.

Leia Mais:

SIGA NOS