Produção orgânica supera a produtividade da cebola convencional

 

As exigências nutricionais e a alta incidência de pragas e doenças nos plantios de cebola no Submédio São Francisco levaram para o manejo desta olerácea um extenso receituário de insumos químicos. A freqüência e a intensidade de uso destes insumos fixaram-se de tal forma nas práticas agrícolas dos produtores que fazem cultivos alternativos como os orgânicos serem considerados de alto risco, de pequena viabilidade comercial. Contudo, pesquisa divulgada por especialistas da Embrapa Semi-Árido e da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) revela que a produtividade no plantio orgânico pode superar a convencional.

Em testes realizados por dois anos seguidos, os especialistas conseguiram com o manejo orgânico obter cerca de 38 t/ha de bulbos comerciais de cebola. Uma quantidade superior à média registrada com os métodos tradicionais de cultivo na região (20 t/ha). Este resultado demonstra a viabilidade técnica da alternativa e abre aos agricultores da região as portas para um mercado em franca expansão no Brasil: o de produtos orgânicos. As oportunidades comerciais neste mercado podem contribuir também para reduzir a freqüente instabilidade dos preços praticados no negócio desta cultura, explica o pesquisador Nivaldo Duarte Costa, da Embrapa Semi-Árido.

Mais rentável – No dia 26 de dezembro, em um grande supermercado do sudeste do país, o preço de 600 g de cebola orgânica era comercializada a R$ 5,24. No mesmo lugar, 1.000 g da cebola comuns, pêra e roxa, variavam entre R$ 1,04 e R$ 3,14. Em 2005, um dos poucos agricultores que chegou a cultivar cebola orgânica no Submédio São Francisco conseguiu vender seu produto para o mercado de São Paulo a R$ 36,00 a saca de 20 kg. Na mesma época, a mesma quantidade da cebola convencional era vendida no Produtor de Juazeiro por R$ 8,00.

Com a qualidade de ser um produto natural, sadio, de alto valor biológico e isento de agrotóxicos, a cebola orgânica possui maior valor agregado, explica o professor Jairton Fraga Araújo, da Universidade do Estado Bahia. Por isto que, em geral, os preços que alcança nos mercados são sempre mais elevados que os da cebola convencional, e ainda tem a vantagem de ter um custo de cultivo praticamente igual ou inferior. É mais rentável para o agricultor, afirma Jairton.

Torta – Das 18 variedades de cebola avaliadas nos testes experimentais para produção orgânica, a Brisa foi a mais produtiva. Os especialistas da Embrapa e de Uneb ainda avaliaram diversos procedimentos relacionados ao preparo do solo - com o plantio de leguminosas (mucuna preta, guandu e crotalária). Para a adubação, buscaram-se fontes alternativas para substituição dos insumos químicos, a exemplo do fosfato natural, para o caso do fósforo, torta de mamona para o suprimento de nitrogênio para a cultura, e um composto chamado de SUL-PO-MAG para o potássio. Semanalmente, as plantas receberam aplicações de biofertilizante foliar a base de macro e micro-nutrientes.

Os sérios problemas fitossanitários que acometem a cultura da cebola também foram resolvidos exclusivamente com o uso produtos autorizados para aplicação em sistemas orgânicos como as caldas bordaleza e sulfocálcica, urina de vaca, além de aminoácidos. No solo, logo após o transplantio das mudas de cebola, se aplicou um condicionador do solo. O sistema de irrigação utilizado nos testes realizados no Campo Experimental de Bebedouro, da Embrapa Semi-Árido, foi o de microaspersão.

A agricultura orgânica, no planeta, cresce a taxas que variam de 10% a 50% ao ano a depender da atividade agrícola. A mudança no padrão de consumo de alimentos em várias sociedades em conseqüência de preocupações acerca do meio ambiente e da saúde humana, amplia o mercado para produtos isentos de agrotóxicos e fertilizantes sintéticos, explica Nivaldo Duarte. A produção orgânica de cebola no Submédio São Francisco pode se tornar um importante negócio para os agricultores, afirma.

Mais consumo - Um dos sérios desafios a ser enfrentado pelo negócio da cebola é aumentar o consumo desta olerácea, estabilizada em torno de 70-80 mil t/mês. Para Nivaldo, as lideranças, técnicos, agentes de instituições públicas de fomento e de pesquisa, além dos próprios agricultores precisam agir no sentido de incrementar o consumo da cebola. Em sua opinião, as muitas qualidades nutricionais desta olerácea pode ser o grande atrativo para o desenvolvimento de iniciativas que estimulem o seu uso.

Além de agregar sabor especial para temperos, combina com quase todos os tipos de pratos. A cebola orgânica pode contribuir para o aumento do consumo, além de ser um alimento saudável. Além de agregar sabor especial para temperos, combina com quase todos os tipos de pratos. O consumo diário contribui para o bom funcionamento do sistema imunológico do ser humano, protege o organismo contra infecções e outras disfunções.

A pesquisa é financiada pelo Banco do Nordeste. Os parceiros da Embrapa neste trabalho são o Departamento de Tecnologia e Ciências Sociais da Universidade da Bahia, a Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA) e a Empresa Pernambucana de Pesquisa Agropecuária (IPA).


Mais informações:

SAC - Serviço de Atendimento ao Cidadão
Endereço Eletrônico: [email protected]

Embrapa Semi-Árido – 87 3862 1711


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+