BIODIESEL (15/12/2004)
Ceará ganhará duas mini-usinas

Será assinado na próxima sexta-feira o contrato para a instalação de três mini-usinas de biodiesel pelo Dnocs e Instituto Centec. Duas unidades serão instaladas no Ceará, em Piquet Carneiro e Tauá e outra em Alvorada do Gurguéia, no Piauí, cada uma com capacidade para a produção de até mil litros de biodiesel por dia.

A Prefeitura de Piquet Carneiro iniciou nesta semana o cadastro de produtores que vão plantar 400 hectares de mamona para alimentar a mini-usina. Um dos produtores é Francisco de Souza Piancó, que reservou quatro hectares para a produção de mamona no Sítio Serrinha, no distrito de Aba da Serra, em Piquet Carneiro. Ele foi um dos 230 produtores do Município que participaram do 1º Seminário da Mamona para a Produção do Biodiesel e a Inclusão Social.

A empresa TecBio, que detém a tecnologia da produção de biodiesel usando etanol ou metanol, foi escolhida para fazer a usina piloto. “A unidade tem capacidade para esmagar 250 quilos de baga de mamona por hora”, disse Nei Barros da Costa, da área de Produção de Desenvolvimento Tecnológico do Dnocs. “Os recursos para as três unidades, das 10 que o Dnocs vai implantar no Nordeste, estão totalmente assegurados”, informou.

Segundo Nei Barros, após a assinatura do contrato, vão ser adquiridos os equipamentos para instalação da mini-usina de Piquet Carneiro em janeiro de 2005. Em Tauá, no perímetro irrigado Várzea do Boi, serão instalados campos para a produção de sementes selecionadas de mamona com apoio da Embrapa. O deputado Ariosto Holanda, que destinou R$ 500 mil através de emenda parlamentar para a Prefeitura instalar a unidade, calcula que cada mini-usina vai gerar uma renda mensal de R$ 36 mil para a associação dos produtores.

Nesta quarta-feira, a bancada do Nordeste reúne-se com o ministro da Reforma Agrária, Miguel Rossetto, para discutir o biodiesel e a agricultura familiar. Será anunciada a prioridade para a produção de mamona nos assentamentos no Semi-árido e a vinculação do crédito agrícola à aprovação dos escritórios da Emater nos estados, e não apenas ao zoneamento.

De acordo com Ariosto, com a medida provisória do biodiesel, lançada este mês pelo presidente Lula, o óleo da mamona ou dendê produzido pelo sistema de agricultura familiar é totalmente isento de tributo. O deputado informou que estão destinados R$ 200 milhões de emendas para o Ministério da Ciência e Tecnologia no orçamento de 2005 que os prefeitos podem solicitar por meio de seus parlamentares para a instalação de mini-usinas de biodiesel nos municípios.

diaro do nordeste em 11/12/2004 e bicho 15-12-04

Página Anterior   Associe-se  
Rodapé