Meta é montar cadeia produtiva de algodão orgânico

São Paulo - O projeto mais arrojado que está sendo conduzido pela Unisol-Brasil (União e Solidariedade das Cooperativas e Empreendimentos de Economia Social do Brasil) é o de uma cadeia produtiva de algodão orgânico. Nessa cadeia, o plantio e colheita do algodão será feito pela cooperativa de agricultores familiares da Cidade de Tauã (CE); a fiação, pela Cooperativa Cones, em Nova Odessa (SP); a tecelagem, pela Textilcooper, de Santo André (SP); e finalmente a confecção, pela Univens – Unidas Venceremos, de Porto Alegre (RS).

Para iniciar suas atividades, essa cadeia aguarda que o Ministério do Trabalho e Emprego libere um financiamento a fim de comprar novas máquinas, no valor de R$ 300 mil.

Os produtos feitos com algodão orgânico têm grandes possibilidades de venda no mercado externo, em particular na União Européia, onde a procura por produtos orgânicos é maior que a oferta. Embora o selo orgânico seja mais conhecido em alimentos, ele se aplica a qualquer processo do setor de agricultura, criações animais e produtos industriais.

No caso do algodão orgânico, o plantio deve ser feito em solo não contaminado por insumos e defensivos químicos determinados e o controle de pragas é primordialmente feito por combinação de culturas com outras plantas e caldos vegetais. Também são exigidas, para concessão da certificação, condições de trabalho em toda a cadeia – do plantio às fábricas.

fonte:Agência Brasil, 07/08/2004 às 10:59 por Pedro Malavolta


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+