Produtores de cacau terão R$ 2,13 bi em linhas de crédito de investimento



cacauPor meio do Programa Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (ABC), produtores brasileiros de cacau poderão acessar R$ 2,13 bilhões em crédito de investimento para implantar, melhorar ou manter suas lavouras em sistemas florestais ou agroflorestais.

O programa está previsto no Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2017/18, lançado semana passada pelo presidente da República, Michel Temer, e pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi.

De acordo com o Mapa, os projetos apresentados para financiar o incremento da produção de cacau no sistema de agricultura de baixo carbono terão limite de financiamento de até R$ 2,2 milhões por produtor, com taxas de juros de 7,5% ao ano e prazo em até 12 anos.

No ranking mundial dos produtores de cacau, o Brasil está em sétimo lugar, atrás da Costa do Marfim, Gana, Indonésia, Equador, Camarões e Nigéria. Em 2017, o País importará 60 mil toneladas de amêndoas.

De acordo o IBGE, em 2016, a produção brasileira ultrapassou 214,7 mil toneladas de amêndoas secas de cacau, em uma área de 707,2 mil hectares. Os principais estados produtores são Bahia, Pará, Rondônia e Espírito Santo.

“O grande desafio é deixar de ser importador de amêndoas africanas, para melhor atender à indústria nacional, até mesmo pelos riscos fitossanitários”, disse o diretor do Departamento da Comissão Executiva da Lavoura Cacaueira (Ceplac) do Mapa, Juvenal Maynart Cunha.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

 


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+