Boi orgânico é tendência do mercado

 

Há três anos surgiu no Brasil um sistema alternativo de manejo bovino que adota a política do gado ecologicamente correto e sadio. A técnica, que consiste no emprego de

manejos poucos usuais para criação extensiva de animais - como por exemplo o uso da homeopatia e da fitoterapia (medicação a base de plantas) - fez surgir nos cerrados brasileiros o Boi Orgânico.

Um rebanho orgânico não apresenta resíduos químicos, o que garante uma carne de mais qualidade para o consumidor. Este sistema de criação alternativo também respeita e preserva as características mais sensíveis do meio-ambiente, sem

estrago na pastagem e sem contaminação ambiental.

O processo de cria, recria, engorda e abate é feito por meio de um manejo rotacional que proporciona o descanso do pasto por 30 dias articulado por meio de cercas elétricas.

A produção do rebanho orgânico segue normas criadas pela União Européia, que até 2003 permite que um bezerro de até oito meses possa ser recriado e engordado nas normas orgânicas. Mas existem correntes que pedem que o bezerro nasça de uma matriz orgânica e tenha sido enquadrada no sistema rastreabilidade em até 90 dias após o parto.

fonte: Diário de Cuiabá em 14/03/2003 por Marianna Peres

Leia Mais:

Mais notícias   Associe-se