Dnocs investirá R$ 1,2 milhão em usinas de biodiesel

O Dnocs vai construir duas usinas pilotos de produção de biodiesel (a partir da mamona), nos municípios de Tauá e Piquet Carneiro, no valor de R$ 1,2 milhão, além de implantar 10 hectares de produção de sementes selecionadas de mamona, no perímetro irrigado Várzea do Boi, em Tauá. Os recursos serão repassados ao Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec), que será o responsável pelos estudos, elaboração de projetos e instalação das usinas e pela assessoramento técnico na implantação do projeto de produção de sementes.

Contrato nesse sentido foi assinado pelo diretor-geral do Dnocs, Eudoro Santana, o coordenador estadual do órgão no Ceará, Edílson Aragão, e o presidente do Centec, Amaury Oriá Fernandes, na sede da administração central do Dnocs - na Avenida Duque de Caxias, 1700. Os projetos ficarão concluídos em setembro próximo.

Eudoro Santa explicou que o ato concretiza um projeto integra o programa "Biodiesel e a inclusão social no semi-árido na área de atuação do
Arquivo


EUDORO SANTANA, com Edílson Aragão e Amaury Oriá


órgão", criado em 1004 pelo governo federal. Ele lembra que a produção do biodiesel, a partir da mamona, é uma atividade que atende aos objetivos do Dnocs de estar construindo uma cultura de convivência com o Semi-Árido e uma civilização com as cores do ambiente, como apregoou Guimarães Duque.

Edílson Aragão, por sua vez, disse que são projetos novos como o biodiesel que ampliam as oportunidades dos agricultores de renovarem as culturas na Região. Amaury Oriá destacou o conhecimento técnico e científico dos profissionais do Centec para garantir o êxito do empreendimento e citou a parceria com o órgão, iniciada em 2003, para a modernização nas áreas de irrigação em perímetros do Ceará e Pernambuco.

Pelo contrato, os recursos serão liberados em parcelas, conforme o andamento dos trabalhos. Neste mês de janeiro está sendo liberada a primeira parcela de 15% no início da etapa dos estudos preliminares. Posteriormente, as outras parcelas serão liberadas da seguinte forma: 10% mediante apresentação dos serviços de modelagem, projeto de engenharia básica e especificações de materiais e equipamentos; 30% mediante comprovação da aquisição de materiais e equipamentos; 15% com a fabricação e aprovação dos equipamentos; 10% com a montagem e instalação das unidades; 10% com a aprovação dos testes operacionais; e a parcela final de 10%, mediante relatório do assessoramento técnicos, avaliação final e aprovação do relatório.

fonte: Diario do Nordeste, Fortaleza - Ceará em 11/01/2005

Página Anterior   Associe-se  
Rodapé