Dedini vende maior usina de biodiesel para Grupo Bertin

A Dedini Indústria de Base anunciou, hoje, a venda da maior usina de biodiesel a entrar em operação no Brasil para o Grupo de Frigoríficos Bertin S/A. A unidade, que será instalada na sede da Bertin em Lins (SP), terá a capacidade de produzir 110 milhões de litros de biodiesel por ano, correspondente a 14% de toda a demanda brasileira do combustível, considerando a mistura de 2% ao diesel de petróleo, prevista até 2008.

A usina vai utilizar como matéria-prima o sebo bovino e o metanol de petróleo e é considerada a maior unidade do mundo de produção de biodiesel de origem animal e fóssil. De acordo com José Luiz Olivério, vice-presidente da Dedini, a unidade será a primeira planta industrial de produção de biodiesel por meio de processo contínuo.

Nas unidades anteriores, os reatores de processamento eram abastecidos e esvaziados antes de um novo processo de produção ser reiniciado. "Nesse novo processo, o sebo entrará na usina e o biodiesel sairá na outro ponta", disse Olivério.

O executivo garantiu que, mesmo com a utilização do metanol, o biodiesel produzido na unidade da Bertin será menos poluente do que o diesel de petróleo. A empresa não revelou os valores investidos pelo grupo de frigoríficos, mas comentou que uma unidade de produção de biodiesel custa entre R$ 20 milhões e R$ 40 milhões, dependendo do nível de automação.

Além de produzir o biodiesel a partir do sebo e do metanol, a usina também terá a capacidade de produzir o combustível a partir de óleos vegetais e etanol da cana-de-açúcar. "Aproveitando a moda, posso garantir que será a primeira planta Flex de biodiesel do Brasil", disse Olivério.

O executivo fez palestra durante o seminário Novo Paradigma da Agricultura Mundial. Ele entregou ao ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, um estudo encomendado pela Dedini junto ao Cepea/Esal/USP e ao Pólo Nacional de Biocombustíveis, o qual mostra os custos de produção do biodiesel em São Paulo e nas Regiões Norte e Nordeste.

Apesar de não revelar os números gerais, Olivério informou que o biodiesel é o combustível que paga mais impostos atualmente, cerca de R$ 0,60 o litro, ante R$ 0,45 do diesel de petróleo; R$ 0,22 do álcool; R$ 0,35 da gasolina e R$ 0,17 do gás natural. O estudo apontou, ainda, que o girassol é a alternativa mais barata para a produção de combustível. No entanto, em virtude da pequena oferta do grão, a produção hoje não supre a demanda.

Fonte: Agência Estado em 14.10.2006

Página Anterior   Associe-se  
Rodapé