Biomassa é oportunidade para energia renovável e indústria química no País


A produção agrícola e florestal tem papel de destaque na fatia de renováveis da matriz energética brasileira, uma das mais limpas do mundo. Da energia hidráulica vem 64% do que consumimos em eletricidade. Quando se considera, contudo, toda a energia utilizada no País, quem fica com o primeiro lugar entre as fontes renováveis é a cana-de-açúcar. Lenha e carvão vegetal, outras biomassas importantes, ocupam a terceira posição, logo depois das hidrelétricas. O papel atual e futuro da biomassa para o fornecimento de energia e para a bioeconomia é o tema da apresentação do chefe-geral da Embrapa Agroenergia, Guy de Capdeville, no Congresso Internacional de Energias Renováveis e Sustentabilidade (Ciers), que acontece nesta semana, até quinta-feira (18), em Brasília/DF.

A cana-de-açúcar é destaque porque dá origem ao etanol e ainda gera energia para movimentar as usinas e excedente para a rede. Esse setor, contudo, está no limite da capacidade de produção, enquanto não houver novos investimentos, aponta Capdeville. Em contrapartida, ainda há capacidade ociosa nas usinas de biodiesel, biocombustível atualmente misturado ao diesel na proporção de 8%.

Para o chefe-geral da Embrapa Agroenergia, o País tem na biomassa uma oportunidade tanto para aumentar a já significativa participação de renováveis em sua matriz energética quanto para equilibrar a balança comercial da indústria química, que tem mais de US$ 30 bilhões de déficit anualmente. No centro de pesquisa, os pesquisadores estão desenvolvendo tecnologias para o aproveitamento total da biomassa (caldos, óleos, bagaços, folhas, resíduos do processamento, etc), gerando não só biocombustíveis, mas também produtos químicos e biomateriais.

Esse panorama do setor de biocombustível e bioeconomia no Brasil e as ações da Embrapa Agroenergia para desenvolvimento de tecnologia nesses segmentos serão apresentados por Guy de Capdeville, na quinta-feira (18), às 16h30, no painel sobre Energias Renováveis, Eficiência Energética e Bioeconomia do Congresso. 

Fonte: Embrapa em 17-05-2017


Leia Mais:




Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+