BIODIESEL DE MAMONA

Ceará busca auto-suficiência

06/06/2005
Mamonas para biodiesel terão financiamento de R$ 100 milhões

Dos estilingues para o tanque de combustível. O Pronaf - Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar vai disponibilizar uma linha de crédito no valor de R$ 100 milhões, para incentivar o plantio, cultivo e colheita da mamona. A oleaginosa é uma das principais matérias-primas a serem utilizadas para a fabricação de biodiesel, combustível não poluente a ser adicionado ao óleo diesel. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (6) pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Eduardo Campos, ao participar de seminário sobre biodiesel e o Nordeste.

De acordo com Campos, a meta é beneficiar até 2006, 38 mil famílias, sendo 30 mil no semi-árido do Nordeste, com o cultivo do vegetal. Ele informou que a participação dos agricultores familiares na produção de mamona vai permitir a geração de renda adicional de R$ 100 milhões, por ano, para todas as famílias envolvidas no programa.

O programa do biodiesel visa consolidar o Brasil como líder em uma matriz energética limpa e renovável. "Nossa expectativa é a de que a produção do biodiesel abra perspectiva para as exportações e reduza a importação de diesel, que custa hoje aos cofres públicos, US$ 1,2 bilhões por ano", defendeu o ministro. O ministro informou que o Brasil consome anualmente 37 bilhões de litros de diesel, dos quais, 15%, o equivalente a 6 bilhões são importados. Reconheceu que mesmo que o país alcance auto-suficiência na produção de petróleo, haverá necessidade de importar diesel comum, porque boa parte do óleo extraído em território nacional não tem qualidade para produção do combustível.

Campos observou que quando o óleo diesel começar a ser comercializado ao consumidor com uma mistura de 2% de biodiesel, ainda este ano, a produção não terá capacidade de atender a demanda. "Serão necessários 740 milhões de litros de biodiesel para compor a mistura," enfatizou. Justificou que por essa razão o ministério está investindo em projetos de usinas de biodiesel, visando promover o desenvolvimento sustentável e a inclusão social.

Durante o evento, Eduardo Campos assinou com o prefeito do município de Pesqueira, a 209 km de Recife, João Eudes Machado Tenório, convênio para instalação de uma fábrica de biodiesel, no município, a partir da utilização da mamona, como matéria prima. A unidade vai receber investimentos de R$ 1 milhão do ministério da ciência e tecnologia, para compra de maquinário. A fábrica terá capacidade de produzir inicialmente dois milhões e meio de litros de biodiesel.

O programa nacional do biodiesel, lançado em dezembro passado pelo presidente Lula, que tem como meta a geração de 900 mil empregos, envolve 14 ministérios R$ 16 milhões de reais. (Márcia Wonghon/ Agência Brasil)

fonte: Agência Brasil em 06/06/2005

Página Anterior   Associe-se  
Rodapé