Biodiesel é atrativo como combustível

A partir da mamona e outras espécies vegetais, surge um novo combustível que vai concorrer com os convencionais. Sul do Pará está de olho no projeto

Redenção(Agência Opinião) -Até o fim de 2005, além da gasolina, álcool e diesel, os postos de combustíveis de todo o país já devem estar oferecendo o biodiesel. O Governo Federal autorizou o uso comercial através do Programa Nacional do Biodiesel, lançado em dezembro de 2004, que esta-belece a mistura de óleo vegetal de mamona, girassol, palma, soja ou babaçú, com o diesel convencional.

Uma missão técnica reunindo o prefeito de Pau D'Arco, Mariosval Dueti, secretários de agricultura de Rio Maria, Pau D'Arco e técnicos da EMATER de Redenção, Conceição do Ara-guaia, Xinguara, Rio Maria, Santana do Araguaia, Santa Maria das Barreiras e Água Azul do Norte, visitou na última semana um projeto que vem dando certo na região semi-árida do Piauí. Na fazenda Santa Clara, município de Canto do Buriti, está sediada a Brasil Ecodiesel, uma empresa 100% nacional e da iniciativa privada, que ontem (4), recebeu a visita do presidente Lula. Ele foi conhecer de perto esta iniciativa de reforma agrária e produção do biodiesel. No projeto vivem 700 famílias de pequenos agricultores, que instalados em 20 células numa área de 30 mil hectares, cultivam a mamona para a produção do biodiesel, combustível que traz entre as vantagens, fatores econômico, social e ecológico.

Cada parceiro assentado ganha a terra, casa com água encanada, rede de esgoto, energia elétrica e ainda recebe sementes, maquinários, ferramentas, orientação técnica, transporte da safra, e ainda a garantia da compra de toda a produção pela Brasil Ecodiesel, que produz 25 milhões de litros de biodiesel por ano.

Segundo o gerente operacional da empresa, Ricardo Ramos, os funcionários são parceiros que recebem toda a infra-estrutura necessária, além de escola, informática, atendimento médico e odontológico. 'O projeto não é paternalista, ele é feito para se pagar, o parceiro tem direitos, mas tem deveres, ele precisa atingir um índice de 80% de produção e ainda aumenta sua renda com o feijão consorciado com a mamona, mel, horta comunitária e casa de farinha', esclarece o engenheiro agrônomo.

A pesquisadora da Universidade de Fortaleza, Viviani Tinte, disse que este é um projeto de reforma agrária que deveria ser copiado pelo governo. 'Queremos incentivar prefeituras, técnicos e empresários do Sul do Pará a investirem no plantio da mamona para produção do biodiesel', diz a pesquisadora.

Para o prefeito de Pau D'arco, é preciso quebrar a monocultura da pecuária na região. 'Através dessa visita estamos realizando um amplo estudo sobre a viabilidade econômica e social da produção de mamona em Pau D'Arco ', disse Mariosval. Segundo o supervisor regional da Emater no Sul do Pará, Humberto Reale, o órgão deve realizar um plantio experimental nos municípios de Conceição, Pau D'arco e Santa Maria das Barreiras. Na oportunidade, a comitiva também esteve na cidade de Floriano (PI), onde visitou a nova usina de biodiesel inaugurada ontem, e que possui um investimento privado de R$ 11 milhões, e capacidade de produção de 25 mil toneladas do combustível por ano. O Estado do Pará está nas intenções da Brasil Ecodiesel, para aumentar os negócios na produção desse combustível.

fonte: O liberal - Edição:Ano LIX - nº 31.105

Página Anterior   Associe-se  
Rodapé