O Bicho-da-seda agregará valor ao cultivo da mamona e possibilitará mais lucro para os agricultores

Mamona com bicho-da-seda

O agrônomo José Nunes Pinheiro, pesquisador do Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal do Ceará, que fez doutorado sobre a produção da mamona com o bicho-da-seda, anuncia que o consórcio será aplicado no plantio em Piquet Carneiro para agregar valor à cultura. "Estamos fazendo projeto com o Instituto Centec para definir áreas experimentais, onde vamos estudar todo o ciclo biológico da mamona e treinar pessoas para a ação de multiplicação", disse ele.

As folhas da mamona alimentam a mariposa que produz um casulo de seda, que possibilita uma renda extra de R$ 255 a R$ 357 por hectare, de modo integrado com a produção de mamona. Mesmo com o consumo de 1,7 mil quilos a 2 mil quilos de biomassa da folha de mamona por hectare, a produção de mamona não foi afetada. Foram colhidos 2,6 mil quilos por hactare no experimentos para a pesquisa de doutorado, disse Nunes.

O pesquisador elabora um novo projeto de pesquisa para definir desde a fase de germinação até a colheita da mamona, qual o maior volume que é possível processar com o bicho-da-seda, sem afetar a produtividade de bagas da oleaginosa. Segundo ele, o estudo será acompanhado com o treinamento de extensionistas que terão como objetivo difundir a tecnologia de cultivo do bicho-da-seda entre os agricultores para beneficiar os casulos e exportar para os mercados da China e Índia, que daí produzem a seda.

Fonte:Diário do Nordeste, Fortaleza PESQUISA (15/12/2004)

Página Anterior   Associe-se  
Rodapé