Conheça os benefícios do vinho orgânico

Quem busca uma alimentação mais natural pode apostar nessa bebida que é produzida sem agrotóxicos, aditivos químicos ou modificações genéticas

Cada vez mais o vinho está caindo no gosto de jovens e adultos. A bebida clássica é uma ótima pedida em jantares românticos, em encontros com amigos e até em reuniões de trabalho. Se consumido com moderação, o vinho é apontado pela ciência como um protetor em potencial para a saúde. Duas taças diárias para os homens e uma para as mulheres são recomendadas porque acredita-se que os polifenóis do vinho tinto (resveratrol) podem trazer incontáveis benefícios à saúde e ao funcionamento do organismo.

O resveratrol age como antioxidante e pode ser encontrado na maioria das frutas, principalmente nas escuras ou de cascas escuras, como uvas pretas e vermelhas. A bebida tem, por exemplo, ação anti-inflamatória capaz de beneficiar diretamente o sistema cardiovascular. Os flavonoides, que também são encontrados na uva, ajudam a prevenir doenças neurodegenerativas e acelerar o metabolismo. A bebida também é classificada como um ingrediente importante da dieta mediterrânea, caracterizada por um cardápio saudável.

Dentro do universo das variações de sabor, texturas e harmonizações da bebida, um tipo está ganhando destaque. Tanto que muitos estabelecimentos já até mudaram a forma de servi-lo e apresentá-lo. Trata-se dos vinhos orgânicos. Uma bebida produzida a partir de uvas de cultivo orgânico, que consiste em usar apenas produtos naturais, eliminando produtos químicos como fertilizantes, pesticidas, fungicidas e herbicidas. Ou seja, sem adição de agrotóxicos.

O empresário Nassib Kassis Filho, proprietário da loja Mundo do Vinho, afirma que o vinho orgânico não perde a qualidade, muito menos o sabor, comparado aos vinhos produzidos nos moldes tradicionais. Na sua loja há mais de 30 rótulos. O especialista afirma que a bebida orgânica tem conquistado admiradores no mundo afora porque hoje as pessoas estão mais atentas em tornar a sua alimentação mais natural possível e com ingredientes cultivados sem agrotóxicos, aditivos químicos ou modificações genéticas.

Nassib afirma que solos ricos em material orgânicos, com sua biodiversidade preservada, são essenciais para a qualidade das uvas. O especialista revela que é comum em fazendas produtoras de vinho ter criação de animais, como ovelhas, aves e carneiros. "Os produtores soltam os animais, eles fazem suas necessidades no local e adubam o solo. Existe uma simbiose. É muito interessante."

Volta ao passado

Sérgio Musolino, proprietário da Bekaa Wine Club, afirma que os vinhos de agricultura orgânica seguem regras e são certificados, que inclui a prática de manejo das uvas, o controle das pragas de forma manual e o uso de defensivos naturais. De certa forma, o cultivo orgânico é uma volta ao passado, quando não havia a utilização de produtos químicos no solo. "É um resgate da agricultura de 200 a 300 anos atrás."

Além dos belos lagos, vulcões e geleiras, o Chile, segundo Musolino, é conhecido pela fabricação de vinhos orgânicos. A vinícola Viña Caliterra é uma das mais importantes no mundo. Localizado no Vale do Colchagua, a empresa prepara seus vinhos sob altos padrões de qualidade, protegendo o meio ambiente (flora e fauna), promovendo manejo sustentável e preservando a paisagem natural para as gerações futuras.

Além dos vinhos orgânicos, cujas uvas são cultivadas sem o uso de agrotóxicos e outros defensivos agrícolas, existem os biodinâmicos, que seguem os mesmos métodos e outras técnicas ancestrais. "Ele é produzido com conceitos ainda mais radicais e naturais. Os produtores estudam o equilíbrio e energia da natureza. É feito uma espécie de mapa astral, com calendário especial", afirma Musolino. A bebida é produzida com base nos princípios desenvolvidos pelo cientista e filósofo Rudolf Steiner, criador da biodinâmica.

Sabor intenso

Cada vez mais as vinícolas estão investindo na produção dos vinhos orgânicos, com todos os tipos de uvas, a partir de técnicas que respeitam o meio ambiente. No entanto, a produção ainda é pequena. As culturas orgânicas representam 4% de todas as vinícolas que existem hoje no mundo. No entanto, parte deste grupo pequeno cresce muito rápido. Para reconhecer se a bebida é orgânica, é preciso ficar de olho em algumas certificações. No Brasil, o atestado mais conhecido é o Orgânico Brasil.

O sommelier do Pão de Açúcar, Rafael Spatti, sugere rótulos como o vinho italiano Passo Dell' Orso Montepulciano Orgânico e o vinho argentino tinto Cuma Malbec. Para ele, existem duas razões para o aumento do consumo das bebidas orgânicas. "A busca por uma alimentação mais saudável vem ganhando muitos adeptos e eles buscam esta opção saudável também nos vinhos. O outro motivo está no fato de um vinho orgânico apresentar um paladar intenso da uva, atraindo cada vez mais apreciadores para esse estilo."

Spatti afirma que a diferença do vinho comum para o vinho orgânico está na maneira como são cultivadas as uvas que darão origem ao vinho. "Essas uvas são cultivadas utilizando-se apenas adubo natural, sem adição de nenhum tipo de agrotóxico, pesticidas ou fertilizantes químicos e de maneira sustentável, contribuindo para a preservação do meio ambiente. Para ser classificado, o vinho orgânico segue regras rigorosas." V&A

Fonte:

01/09/2018 - 00h30min
Drinks

 

Leia Mais:

SIGA NOS