Produtos orgânicos conquistam empreendedores do APL


Promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável das micro e pequenas empresas é a missão do Serviço de Apoio Às Micro e Pequenas Empresas em Alagoas (Sebrae).

Com programas e projetos direcionados a diversos setores da economia local, o Sebrae é tido como uma referência em orientação empresarial, capacitação e consultoria para os empresários de micro e pequenos empresas.

Como resultado para o trabalho de uma equipe formada por 372 colaboradores, entre funcionários, consultores, instrutores, terceirizados e estagiários, o Sebrae tem obtido conquistas relevantes no que se refere ao êxito em suas ações.

A mais recente delas, realizada no último dia 18 de setembro, foi a venda de 300 quilos de macaxeira orgânica feita pelos produtores do Programa Vida Rural Sustentável (PVRS), ao restaurante Recanto do Picuí, membro do Arranjo Produtivo Local Cultura em Jaraguá (APL), durante a Oficina de Cozinha promovida pelo APL de Turismo.

Todos estes personagens fazem parte de uma mesma história: o empenho do Sebrae em cumprir sua missão. Mas, o grande diferencial desta negociação foi, sem dúvida, a interação entre projetos.

Conquistando mercado - O ponto de partida para o desenvolvimento de um projeto que mantivesse os produtores e suas famílias no campo, valorizando a atividade rural e estimulando a sustentabilidade com o trabalho no campo, foi dado em 2002, a partir de um projeto implantado pelo Sebrae/AL e Movimento Minha Terra (MMT).

Nascia o Programa Vida Rural Sustentável (PVRS). Com pouco mais de 30 produtores dos municípios de Maragogi, Santana do Mundaú e Arapiraca, com foco no fortalecimento da agricultura familiar.

De acordo com Fátima Santos, gerente da Carteira de Agronegócios do Sebrae e gestora do Vida Rural Sustentável, em quatro anos, o PVRS obteve muitas conquistas, entre elas o aumento significativo no número de produtores atendidos, atualmente em 250 e um ponto de venda fixo para os produtos cultivados em seis municípios, a Feira de produtos Agroecológicos, no bairro de Jaraguá, em Maceió.

“De lá para cá, a atividade ganhou novos adeptos, de olho nas vantagens de permanecer no campo. E hoje o Estado já conta com cerca de 250 agricultores, no Agreste e Zona da Mata, dedicados, principalmente, à produção de alimentos livres do uso de agrotóxicos, os agroecológicos”, destaca Fátima.

Foi esta produção diferenciada, repleta de hortaliças, frutas, verduras, raízes e laticínios, que além de qualidade, representam a adoção de hábitos saudáveis, que conquistou a simpatia do empresariado alagoano. Primeiro foi o Supermercado Palato e agora, o Restaurante Carne do Sol do Picuí aderiu à proposta.

A negociação encabeçada por Gilson Melo, consultor do Vida Rural Sustentável, teve início durante a Oficina de Cozinha, promovida pelo APL Turismo, em um restaurante na praia do Francês. Na ocasião, foi montada uma exposição com os produtos agroecológicos, visando comercializar as unidades que foram levadas e prospectar com os empresários do APL.

Foi então que o empresário Wanderson Medeiros, do restaurante Carne do Sol do Picuí, decidiu investir na compra de 320 quilos macaxeira orgânica descascada por mês.

Wanderson optou pela compra por duas razões: primeiro por ser um produto orgânico e segundo por vir de um grupo de produtores incluídos em ações do Sebrae. “Por ser um alimento vindo de produtores atendidos pelo Sebrae, temos uma garantia da qualidade, pela exigência que o Sebrae tem neste sentido. Além disso, o preço foi muito convidativo”, afirma o empresário.

De acordo com Gilson, a princípio serão vendidos 80 kg por semana, podendo este volume chegar 300 kg por semana, caso os produtores atendam de forma adequada as exigências do cliente. “O primeiro pedido foi entregue dia 22 de setembro e o segundo na última sexta-feira (29), e foi fornecido pela produtora Maria José e Erotildes da Silva, do Sitio Carasco, em Arapiraca”, afirma Gilson.

A expectativa é envolver os produtores de Santana do Mundaú, por também ter potencial para fornecer o mesmo produto.

Além da macaxeira orgânica, Wanderson pretende conhecer todos os outros orgânicos fornecidos pelos agricultores do Vida Rural Sustentável. “Assim que eu puder, vou comprar outros produtos”, comenta. O empresário também já fechou negócios com piscicultores do APL de Piscicultura do Delta do São Francisco, de quem está comprando Tilápia.

Para a Jacqueliny Martins, gestora do APL Cultura em Jaraguá, a integração dos APL com a Carteira de Agronegócios mostrou a importância de criar oportunidades para os empreendedores se relacionar, conhecer a atividade um do outro e assim, fechar negócios. “A oficina trouxe um excelente resultado para os produtores do Vida Rural, para o restaurante do Wanderson, além de ser um pontapé para outras iniciativas integradoras. Esperamos os produtores tenham condição de atender esse e outros pedidos” ressalta a gestora. (Sebrae/AL)

Fonte: Gazeta em 06/10/2006


Leia Mais:



SIGA NOS

-->