Apicultores produzem mel orgânico

 

Pequenos produtores receberam capacitação para tornarem a atividade mais produtiva. Fornecem o mel em sachês e garrafas para o Programa de Aquisição de Alimentos

ANTÔNIO CARLOS ALVES
Livre de agrotóxicos ou qualquer insumo químico, o mel da comunidade de Tigre amplia mercados

Paramoti. Ser seu próprio patrão. Essa é a grande visão dos 16 apicultores deste Município, que aderiram à produção de mel orgânico em uma das regiões mais secas do Nordeste. O Município vem se destacando nos últimos anos por uma "doce revolução", implementada pela Associação dos Apicultores da Comunidade de Tigre (Apic). A entidade produz mel orgânico para mercados cada vez mais amplos. A novidade está na participação do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

A meta é incentivar a agricultura familiar nas ações vinculadas à distribuição de produtos agropecuários para pessoas em situação de insegurança alimentar. A compra é feita diretamente pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), por preço compensador, respeitando as peculiaridades e hábitos alimentares regionais e a situação de mercado local.

Parceria entre o Instituto Agropolos do Ceará, Ematerce, Sebrae e Secretaria da Agricultura de Paramoti tem possibilitado o crescimento dessa cultura agropecuária nos sertões de Canindé. Este ano, os avanços da produtividade na região tem sido significativos.

Novas técnicas são empregadas para garantir maior produtividade. 400 colmeias irão produzir 4 toneladas de mel orgânico em 2011, ao preço de R$ 10,00 o quilo. O técnico Wllissis Gonçalves de Sousa, do Instituto Agropolos do Ceará, que garante assistência técnica sistemática aos apicultores de Paramoti, destaca o potencial de mercado para a apicultura. Aponta dados do IBGE, mostrando que o Ceará atingiu a segunda colocação em produção no País, num total de 4.735 toneladas/ano, perdendo apenas para São Paulo.

"Hoje estão produzido mel orgânico certificado pelo Instituto Biodinâmico de Desenvolvimento (IBD), com sede em Botucatu em São Paulo. O Município tem 16 apicultores. Boas chuvas banharam as áreas produtoras durante o inverno deste ano, favorecendo floradas excepcionais da caatinga. Isto contribuiu para o aumento da produção das colmeias", comemora Wllissis Gonçalves.

O presidente da Associação dos Apicultores, Teotônio Marques Freitas, conhecido como Tió, diz que a exploração da apicultura orgânica nos sertões de Canindé vem crescendo. "A expectativa é de expansão da atividade nesta década. ´A tendência é de um aumento no número de produtores e da produtividade", observa.

Segundo ele, toda a produção orgânica deste ano, tem comercialização garantida. "Antes, tudo era muito desorganizado. Depois do trabalho do Instituto Agropolos e do Sebrae, passamos a conhecer melhor a atividade, com mais profissionalismo. Além disso, fizemos muitos cursos e aprendemos sobre o associativismo, da importância de não olhar o outro como rival, mas como parceiro. O resultado é uma vida 100%", comemora o líder produtor.

O reconhecimento da condição de orgânico para o mel está mudando a vida dos apicultores. O produto diferenciado é resultado de como é produzido: livre de agrotóxicos ou de contaminadores químicos.

MAIS INFORMAÇÕES:
Instituto Agropolos do Ceará, Rua Barão de Aratanha, 1.450
Centro - Fortaleza (CE)
Telefone: (85) 3101.1670

Antônio Carlos Alves
Colaborador

Fonte:Diário do Nordeste em 07.11.2011


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+