Algodão orgânico é tema de documentário na National Geographic


O cultivo do algodão orgânico e o impacto nos produtos que chegam aos consumidores é tema do documentário For the Love of Fashion, produzido pela National Geographic e a C&A. A produção aborda a necessidade de uma mudança no paradigma da cadeia de produção da matéria-prima. O documentário é apresentado pela diretora cinematográfica Alexandra Cousteau, conhecida mundialmente por seu trabalho sobre a importância da conservação da água e a sustentabilidade. A estreia no Brasil será no dia 25, às 17h15, na National Geographic.

Nesta quarta-feira, 18, haverá uma pré-estreia em São Paulo, SP, para celebrar o documentário no País, com a exibição do vídeo, seguida por uma mesa-redonda. O objetivo é aprofundar o debate sobre a produção do algodão e impacto para os consumidores no cenário brasileiro, abordando os desafios da produção local e ações futuras, bem como criar uma conexão entre a indústria têxtil e os consumidores que buscam por produtos mais sustentáveis.

A mesa-redonda será composta pelo presidente da C&A Brasil, Paulo Correa, o diretor global de sustentabilidade da C&A, Jeffrey Hogue, o pesquisador da Embrapa Algodão, Fabio Aquino de Albuquerque, uma das responsáveis por implementar a Better Cotton Initiative (BCI) no Brasil, Andrea Aragon, e o professor da Esalq/USP, Lucílio Alves, pesquisador do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). A moderadora será a jornalista de moda e negócios, Maria Prata, apresentadora do programa Mundo S/A, da Globo News.

O documentário é apresentado por Alexandra Cousteau (neta de Jacques-Yves Cousteau), que viaja pela Índia, Estados Unidos e Alemanha, mostrando os resultados do uso de métodos de produção mais sustentáveis.

Na Índia, a apresentadora acompanhou a produção do algodão e conheceu os agricultores locais, cuja vida melhorou significativamente depois que alteraram os métodos de produção, substituindo o cultivo pelo método tradicional por tecnologias mais sustentáveis. Ela também entrevistou trabalhadores de organizações não governamentais e de outras entidades e líderes da indústria na Alemanha e nos Estados Unidos e especialistas em sustentabilidade.

O algodão orgânico traz consideráveis benefícios sociais, econômicos e ambientais, mas representa menos de 1% da produção mundial.

Fonte: Embrapa


Leia Mais:




SIGA NOS