CAV fortalece experiências com sistemas Agroflorestais

Publicada em 11/05 17h37

O Centro de Agricultura Alternativa Vicente Nica (CAV) tem buscado fortalecer os Sistemas Agro-Florestais (SAF's) em propriedades do Município de Turmalina, Alto Jequitinhonha. Trinta agricultores-monitores são acompanhados e a expectativa do CAV é que todos sejam multiplicadores das tecnologias apresentas pelos técnicos da Organização fundada em 1994 cujo objetivo é desenvolver junto com produtores familiares da região uma proposta de agricultura que garanta a sobrevivência, respeite os costumes locais e o meio ambiente. É importante salientar que existem outros agricultores familiares que adotam as práticas na região. Os monitores disponibilizam parte de seus terrenos como área demonstrativa e, a partir das intervenções, os métodos são repassadas a outras famílias.

O SAF é uma forma de uso da terra no qual procura imitar ao máximo a natureza, combinando diversos tipos de plantas num consórcio diversificado e denso, sem uso de produtos químicos e protegendo a terra pela produção de adubos naturais e cobertura a partir das próprias plantas cultivadas nesse espaço.

O Agrônomo Renato Alves de Souza lembra que por meio do SAF há como manter a fertilidade natural do solo. "É possível também torná-lo cultivável por muito tempo. Na região temos um grave problema de enfraquecimento das terras, principalmente, devido à topografia acidentada a estrutura e manejo inadequado do solo. Antigamente uma prática comum na região era os roçados onde o agricultor desbravava a mata virgem, cultivava por alguns anos e depois deixava a terra descansar. Porém com a chegada das empresas monocultoras de eucalipto na região, os pequenos produtores concentraram suas atividades nas Grotas e com menos terra para cultivar e soltar o gado ocorreu uma intensa degradação do solo. Diante deste cenário, o sistema agroflorestal entrou na região buscando aliar a prática dos cultivos sem degradar o solo" -, finaliza.

Um aspecto que determina a sustentabilidade deste modelo é a presença das árvores, que têm a capacidade de capturar nutrientes de camadas mais profundas do solo e torná-los disponíveis para as outras plantas. Por esse sistema em uma mesma área é possível combinar uma grande diversidade de espécies frutíferas, nativas, adubadeiras, ornamentais e/ou exóticas, também culturas comerciais e alimentares, que garantam a alimentação e a venda do excedente, no caso das unidades familiares.

O SAF tem ainda potencial para controle da erosão por meio da cobertura fornecida pelas copas das arvores e serrapilheira, servindo como uma barreira contra o escorrimento superficial da água.

"A topografia do Alto Jequitinhonha é composta basicamente de uma área mais alta e plana denominada de chapadas e depressões denominada de grotas. As chapadas estão quase ocupadas pela monocultura de eucalipto, nas grotas onde estão boa parte das nascentes e pequenos cursos d água é onde residem os agricultores", explica o Agrônomo.

Outro aspecto interessante é que a matéria orgânica fornecida pelos SAF é de fundamental importância para a recuperação de áreas degradadas, melhorando as condições físicas e químicas do solo, promovendo a retenção de água e um melhor equilíbrio entre o suprimento e a perda de nutrientes.

======================

Leia Mais:

Mais notícias   Associe-se