Área de agricultura biológica em Portugal cresce 22% em quatro anos

De acordo com os dados hoje divulgados pelo Eurostat, entre 2012 e 2016, Portugal registou um aumento de 45 mil hectares da área de cultivo biológico

A meio da tabela, a par com a média europeia – é onde Portugal está em termos de percentagem de área dedicada a agricultura biológica sobre o total da área agrícola no país.

Os dados hoje divulgados pelo gabinete estatístico da União Europeia dão conta que no final de 2016 Portugal detinha 245.052hectares de área certificada, ou em vias de conversão, para a produção agrícola biológica. São mais 22%, ou 44.219 hectares, do que em 2012.

Os dados de finais de 2016, contabilizados pelo Eurostat, situam a percentagem de área dedicada à produção biológica em 6,75% do total da área agrícola do país. Para os cálculos, o organismo estatístico utiliza o indicador de superfície agrícola utilizada (SAU) que se pode encontrar também nos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

O rácio está assim na média da União Europeia (que é de 6,7%), a par com a Alemanha e a Grécia.

Nesta forma de ver a produção biológica, a Áustria bate o resto do bloco económico, ao liderar os 28 Estados-membros com uma percentagem de 21% de área biológica sobre o total da área agrícola. São 571 mil hectares do território austríaco, ou dito de outra forma, um quinto da área agrícola daquele país.

Há 12 milhões de hectares “biológicos” na UE

Os dados do Eurostat divulgados esta quinta-feira, 16 de Novembro, contabilizam em 12 milhões de hectares a área certificada ou em vias de reconversão para produção agrícola biológica nos 28 Estados-Membros da União Europeia (UE), no final de 2016.

Isso significa, de acordo com o mesmo gabinete, que a área agrícola biológica aumentou em dois milhões de hectares na UE, desde 2012. No final do ano passado, havia 295.600 produtores agrícolas – inclui pecuária - na União.

Juntos, Espanha (com 2,08 milhões de hectares), Itália (1,79 milhões de hectares), França (1,53 milhões de hectares) e Alemanha (1,13 milhões de hectares) representam 54% da superfície agrícola utilizada dedicada à produção biológica, e igual peso no número total de produtores registados.

O Reino Unido e os Países Baixos, dois dos principais mercados de consumo para a agricultura biológica ficam contudo abaixo da média em termos de área dedicada à produção biológica certificada: 2,8% ou 490 mil hectares, e 2,9% ou 52 mil hectares, respectivamente.

O Eurostat salienta, contudo, que a importância da agricultura e da agro-pecuária biológica é “em geral, mais baixa em regiões plana, onde os sistemas de produção intensiva [com adição de mais fertilizantes e pesticidas] prevalecem”.  

Regulada na UE, a produção agrícola em modo classificado em Portugal como “biológico” e noutros Estados-membros como “orgânico”, obedece ao regulamento 834/2007. Associa redução de aditivos químicos na terra e na alimentação animal, tentando reduzir o impacto da produção no meio ambiente (solo, água e ar) e evitando organismos geneticamente modificados (OGM).

Fonte:Público em 16-11-2017

Leia Mais:

SIGA NOS