Agricultura familiar e alimentação saudável ganharam espaço durante FSM 2002

 

O secretário da Agricultura e Abastecimento (SAA), José Hermeto Hoffmann, apresentou nesta Terça-feira (05) os resultados da Feira da Agricultura Familiar e do Espaço de Alimentação Saudável, promovidos pelo Governo do Estado durante o Fórum Social Mundial 2002. Também participaram da coletiva o diretor-presidente da Ceasa/RS, Sílvio Isopo Porto, o coordenador geral da Fetraf-Sul - Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar da Região Sul, Dirceu Dresch, o agricultor Ademir Bellé e a representante da Cooperativa Teia Ecológica, Ana Júlia Dias Rosa. A Feira e o Espaço foram iniciativas implementadas pela SAA, através da Ceasa/RS, em conjunto com associações urbanas e entidades rurais ligadas à agricultura familiar.A Feira da Agricultura Familiar contou com 126 grupos de agricultores, reunidos em 70 bancas, comercializando produtos como sucos, erva-mate, embutidos e frutas, entre outros produtos. Ao todo, a Feira comercializou 20 mil kg de alimentos, movimentando R$ 37 mil.

Os dois espaços, localizados na PUC e no Anfiteatro Pôr-do-Sol, contaram com 18 cooperativas urbanas reunidas em 14 cozinhas, além de nove grupos de agricultores familiares, agroindústrias e assentamentos da reforma agrária, que ofereceram refeições ecológicas, sucos e lanches saudáveis para os participantes do Fórum. Na PUC, foram comercializadas 20 mil refeições e lanches, gerando R$ 72 mil, e no Anfiteatro, foram servidos 36 mil pratos, movimentando R$ 130 mil.A iniciativa incluiu ainda um trabalho de educação ambiental, com a disponibilização dos kits de Alimentação Saudável, com o objetivo de reduzir a utilização de utensílios plásticos na alimentação. O kit, composto por uma sacola de algodão ecológico, prato de porongo e copo e talheres de bambu, produzidos artesanalmente por assentados da reforma agrária, cooperativas de artesãos e apenados do sistema prisional do Rio Grande do Sul, também promoveu geração de renda para este público, tradicionalmente excluído do mercado. Durante o Fórum, foram comercializados 3.400 kits, movimentando R$ 10 mil.De acordo com o secretário da Agricultura e Abastecimento, José Hermeto Hoffmann, "uma das marcas deste Fórum foi a presença dos agricultores familiares e do Espaço de Alimentação Saudável, que ofereceu um alimento sadio, livre de agrotóxicos para a população que esteve presente a este evento".

"Este ato sintetiza a nossa política de incentivo à produção orgânica", disse Hoffmann. O secretário afirmou ainda que o desafio para o próximo Fórum é trazer produtos da agricultura familiar de todo o mundo, em um espaço de exposição e venda.O diretor-presidente da Ceasa/RS, Sílvio Isopo Porto, disse que o Espaço promoveu uma interlocução importante entre as áreas urbana e rural. "Este evento possibilitou um resgate de tradições alimentares, bem como uma troca de experiências entre os agricultores familiares, as cooperativas urbanas e os consumidores. Esta aliança com os consumidores é fundamental, pois desta maneira as mudanças no padrão alimentar se darão mais rápido", afirmou ele.

O coordenador geral da Fetraf-Sul, Dirceu Dresch, avaliou positivamente a Feira da Agricultura Familiar. "Foi uma grande oportunidade para mostrar para a sociedade que é possível produzir alimentos limpos, sem transgênicos", afirmou ele. Dresch destacou ainda a importância da parceria com o Governo do Estado. "Isto demonstra o compromisso do Estado de investir na agricultura familiar", disse ele.A representante da Cooperativa Teia Ecológica, Ana Júlia Dias Rosa, destacou a importância do Espaço de Alimentação Saudável para a difusão da proposta de alimentação ecológica. "Trabalhamos há cinco anos com agroecologia, e este foi o nosso primeiro grande momento. Viemos com uma proposta de prato popular, que a maioria do povo consome, todo produzido com produtos ecológicos", contou ela. Para o agricultor ecologista Adilson Bellé, a Feira da Agricultura Familiar foi uma oportunidade de proporcionar alimentos mais saudáveis para o consumidor. "É inédito ter um evento tão grande, com alimentos ecológicos em abundância", disse ele.

O Espaço de Alimentação Saudável e a Feira da Agricultura Familiar foram promovidos com o objetivo de valorizar os hábitos alimentares regionais. Esta ação faz parte do Plano Estadual de Segurança Alimentar do Governo do Estado, que visa garantir a cidadania alimentar, promovendo a educação alimentar, viabilizando alimentos de qualidade, a preços acessíveis, gerando renda para a população rural e urbana e contribuindo para o desenvolvimento sustentável.


Leia Mais:



SIGA NOS

-->