Acesso ao mercado consumidor ainda é desafio da agricultura orgânica, diz diretora

 

Rio de Janeiro - Pequenos produtores rurais, integrantes de cooperativas agrícolas, além de fornecedores e empresas certificadoras participam hoje (31), no Rio de Janeiro, do Rio Orgânico 2008. O evento, promovido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), tem o objetivo de divulgar e incentivar a produção e o consumo de itens cultivados com as técnicas orgânicas.

A diretora da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), Sylvia Wachsner, explica que para que um produto seja classificado dessa forma, sua cadeia produtiva precisa deixar de fora agrotóxicos, não agredir o meio ambiente, beneficiar as comunidades do entorno do local onde ele é cultivado, além de oferecer salários e condições de trabalho adequadas. Para ela, esses são os principais benefícios da produção orgânica.

"Por isso esse tipo de atividade é tão importante. Ao consumir um produto orgânico, temos certeza de que ele não vai prejudicar nossa saúde, vamos deixar uma terra sem resíduos, não vamos poluir a água. É uma agricultura ligada ao meio ambiente, à saúde, ao respeito às futuras gerações e ainda é capaz de gerar emprego e renda", afirmou.

Segundo ela, o Brasil conta atualmente com cerca de 15 mil produtores orgânicos, principalmente de pequeno porte ou inseridos na agricultura familiar. A diretora da SNA acredita que o maior desafio nessa atividade ainda é o acesso ao mercado consumidor.

"Trata-se de um enorme desafio porque o produtor tem que cuidar da produção, dos funcionários e ainda precisa correr para negociar no varejo. Quando vai oferecer sua produção a supermercados, também enfrenta dificuldades porque esses estabelecimentos estão acostumados a negociar com gigantes, grandes empresas, e muitas vezes não entendem as características dos pequenos".

Para ajudar a vencer essa dificuldade, ela defende a construção de redes de produtores como o
projeto OrganicsNet, criada no ano passado pela SNA, com apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), do governo do Canadá e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O projeto reúne até agora 11 pequenos produtores orgânicos do Rio, Paraná, Santa Catarina e São Paulo e utiliza a internet para dar maior visibilidade aos produtos e aos produtores, ampliando a penetração desses itens no mercado e ajudando a reduzir custos. Por meio de um portal on-line, os produtores parceiros conhecem novos projetos, unem esforços em transportes e distribuição, obtêm informações sobre demanda de mercado, rotulagem e apresentação de seus produtos, entre outros.

Segundo Sylvia Wachsner, o objetivo é que até o ano que vem o projeto reúna pelo menos 50 produtores. A iniciativa é um projeto piloto que pode ser replicada, por meio do BID, em outros países.

A diretora destacou os avanços da produção orgânica que hoje já está presente em ramos variados, como café, chá, frutas, legumes e verduras, grãos, cereais, produtos de limpeza e até cosméticos.

Fonte: Agência Brasil em 31-05-2008 por Thais Leitão


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+