Classes A e B consomem mais orgânicos



A comercialização, entre as classes A e B, de 30 toneladas de produtos orgânicos por mês, nas variedades de frutas, legumes e verduras livres de agrotóxicos, é meta do grupo Pão de Açúcar para ser alcançada até fevereiro de 2005. A projeção representará 1% da venda de hortifrutigranjeiros comercializados, todo mês, na rede de 19 lojas no Ceará, duas Extra e três lojas no Piauí. Hoje, são vendidas, em toda rede, cerca de 10 toneladas/mês de hortigranjeiros produzidos na Serra da Ibiapaba.

A meta foi anunciada, na manhã de ontem, pelo diretor de Operações do Pão de Açúcar Regional Ceará-Piauí, Francisco Jereissati, durante o lançamento da campanha criada para incentivar a cultura, informação e comercialização de produtos orgânicos. A rede é pioneira na iniciativa em todo o Ceará, embora já venda produtos orgânicos nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. No Ceará, o investimento total da campanha soma cerca de R$ 100 mil, incluindo, mídias impressa e televisiva, além de treinamento de pessoal. "Somos a única rede de supermercados no Ceará a comprar e vender produtos orgânicos", garante Francisco Jereissati.

O executivo reforça que, no Ceará, "numa ação pioneira, o Pão de Açúcar desenvolve, desde fevereiro de 2001, uma parceria de sucesso com a Associação dos Produtores Orgânicos de Ibiapaba (APOI)". São 13 produtores rurais, dos municípios de Ubajara, Ibiapina, São Benedito e Guaraciaba do Norte, ofertando quase 100 empregos diretos, no campo e na embalagem, que cultivam, de forma sistemática, produtos orgânicos, sob a orientação e supervisão da engenheira agrônoma Maria Cristina Martins Ribeiro.

PREÇOS - Jereissati confirma que os preços dos produtos orgânicos, em relação aos tradicionais, são mais caros, em média de 20% a 40%, dependendo do produto e da sazonalidade da produção. "Os orgânicos, além de ecologicamente corretos, são mais saborosos, mais saudáveis, não geneticamente modificados e mais nutritivos", justifica.

O representante da APOI destaca que os orgânicos, por serem produzidos sem o emprego de agrotóxicos, conservam mais suas propriedades naturais como vitaminas, sais minerais, carboirdratos e proteínas. Com a campanha na mídia e reuniões com clientes, o grupo Pão de Açúcar quer despertar a cultura na população cearense para o consumo de produtos orgânicos. Para o lançamento dos produtos, a rede passou por cinco etapas, desde 2001, a partir do conhecimento do mercado, de visitas às áreas de produção, divulgação até chegar às Universidades e colégios, mostrando as vantagens do consumo de produtos sem agrotóxicos. Para garantir a qualidade dos alimentos, os produtos são colocados à disposição dos consumidores em gôndolas especiais, embalados em bandejas com o selo da certificadora.

A entidade, representada, na apresentação da campanha, ontem, pelo produtor Antônio Maria de Oliveira, fundador da APOI, produz e comercializa, unicamente para atender à demanda da rede Pão de Açúcar, cerca de 28 produtos entre frutas, legumes e verduras.

A produção dos 13 filiados à APOI é de 40 mil quilos por mês numa área de 18 hectares .

O excedente é vendido na região e exportado para atender à demanda das lojas da rede no Piauí, informa Antonio Maria Oliveira. As fazendas de produção são todas certificadas. A Comissão certificadora é baseada no Distrito Federal.

 fonte: Diário do Nordeste em (25/11/2004


Leia Mais:



Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Gomes e L&C Soluções Socioambientais

Siga-nos Twiiter rss Facebook Google+