Ervas daninhas tornam-se resistentes a herbicida que transgênicos suportam

LONDRES - Um estudo entregue ao governo britânico para auxiliá-lo na decisão de permitir ou não o plantio de alimentos transgênicos mostra que as várias ervas daninhas estão desenvolvendo resistência a um importante herbicida a que os plantios modificados são capazes de resistir. Segundo o jornal britânico "The Independent", isso significa que, ao contrário do que costumam afirmar as empresas de biotecnologia, os plantios transgênicos podem requerer mais e não menos herbicidas. A descoberta se dá em meio ao prenúncio de uma batalha comercial entre Estados Unidos e Europa em torno dos transgênicos.

A pesquisa, chefiada por Bob Hartzler, do Departamento de Agronomia da Universidade do Estado de Iowa, nos EUA, revelou que, nos últimos sete anos, cinco espécies de ervas daninhas tornaram-se resistentes ao glifosato. A substância, conhecida pelo nome comercial Round Up com que é vendido pela multinacional Monsanto, foi desenvolvida para ser um herbicida de amplo espectro. Mata inclusive os plantios no período de crescimento - a menos que eles sejam geneticamente modificados para resistir a ela. É o caso da soja Round Up Ready.

O estudo mostrou que as ervas daninhas não desenvolveram a resistência por transferência dos genes que a conferem aos plantios - um temor de ambientalistas. A pesquisa revela que tudo não passa de uma evolução natural.

Em entrevista ao "Independent", o gerente técnico para soja na Monsanto dos EUA, Greg Elmore, disse que a empresa está atenta ao problema e tem lidado com isso aplicando uma dose de um outro herbicida antes do plantio. Elmore ressaltou que três das ervas daninhas que desenvolveram resistência evoluíram em locais onde se usava o glifosato em plantios não transgênicos e que 70% das ervas daninhas são resistentes a algum herbicida.

Nesta segunda-feira, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, voltou a criticar duramente a Europa por sua resistência a alimentos geneticamente modificados, dizendo que a proibição contribui para a fome na África.

==============

Jornal do Commercio - 24/06/03

Ervas daninhas resistem ao herbicida da Monsanto

Estudo coordenado por Bob Hartzler, do Departamento de Agronomia da Universidade do Estado de Iowa, Estados Unidos, e entregue ao Governo britânico para auxiliá-lo na decisão de permitir ou não o plantio de vegetais transgênicos indica que ervas daninhas estão desenvolvendo resistência a um herbicida aplicado em plantios de modificados.

Isso significa que, ao contrário do que costumam afirmar as empresas de biotecnologia, os plantios transgênicos podem requerer mais e não menos herbicidas. A descoberta se dá em meio ao prenúncio de uma batalha comercial entre os EUA e a União Européia em torno das commodities transgênicas. A pesquisa informa que durante os últimos 7 anos, 5 ervas daninhas tornaram-se resistentes ao glifosato, herbicida Round Up, da indústria Monsanto. O produto mataria outros vegetais geneticamente não modificados, preservando apenas os vegetais transgênicos, como a soja da variedade Round Up Ready, da Monsanto.

O gerente técnico para soja da Monsanto nos EUA, Greg Elmore, disse que a empresa está atenta e vem aplicando uma dose de um outro herbicida antes do plantio. Elmore ressaltou que três das ervas daninhas que desenvolveram resistência evoluíram em locais onde se usava o glifosato em plantios não transgênicos e que 70% das ervas daninhas são resistentes a algum herbicida.

Ontem, o presidente George W. Bush, voltou a criticar duramente a Europa por sua resistência ao comércio de vegetais geneticamente modificados, dizendo que a proibição contribui para a fome na África.

Em alguns países africanos, as autoridades, pressionadas por ongs ecologistas, não aceitam sequer doações de vegetais transgênicos como o milho.

fonte;O Globo, Rio, 24 de junho de 2003

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se