Setor de transgênicos é concentrado

Quatro empresas respondem por 57% das plantações modificadas da pesquisa e do desenvolvimento de plantações transgênicas no mundo, afirma um relatório divulgado pela consultoria Bio Economic Research Associates. São elas: Monsanto, Du Pont/Pioneer, Bayer/Aventis e Dow. As quatro estão presentes no Brasil. As companhias encabeçam uma lista de 180 empresas, universidades e agências governamentais envolvidas em biotecnologia agrícola. A concentração é justificada pelos custos altos e pelo retorno financeiro incerto das plantações geneticamente alteradas. O desenvolvimento de uma planta transgênica pode levar de seis a 12 anos, com um custo entre US$ 50 milhões e US$ 300 milhões, afirma a consultoria. Por isso, a pesquisa e o desenvolvimento neste setor devem permanecer altamente concentrados, segundo o relatório. O documento também indica que as empresas prontas para lançarem uma quantidade estonteante de inovações genéticas nos próximos anos, tiveram de encarar o ceticismo do consumidor e as sugestões da própria indústria alimentícia para as plantações de transgênicos fossem limitadas e controladas. A consultoria sugere às companhias de biotecnologia que primeiro verifique se os interesses são afetados por seus produtos. "Acreditamos que esse tipo de defesa, ou marketing social, vai se tornar uma competência central para o sucesso dessas companhias", afirma o relatório. O governo deverá anunciar, dentro de 60 dias, qual será a posição oficial do Brasil com relação ao plantio de transgênicos em seu território. Um grupo de trabalho constituído por nove ministérios, entre eles Agricultura, Meio Ambiente, Segurança Alimentar, Desenvolvimento, Justiça, Saúde duscute o assunto. A intenção do governo, segundo a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, é ter uma atitude de precaução com relação ao tema. Para ela, é preciso ter uma avaliação precisa sobre a possibilidade de o plantio dos transgênicos trazer prejuízos ou não ao ambiente.

Fonte:Gazeta do Povo - AGRICULTURA 24/02/2003 - 00h23

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se