Transgênicos - Organismos Geneticamente Modificados


Milho transgênico pode matar borboletas
 
Segundo novo estudo, pólen da planta multiplica por 7 chances de insetos morrerem

WASHINGTON - Pesquisadores da Universidade Estadual de Iowa anunciaram ontem que encontraram mais evidências de que o pólen de milho transgênico pode ser mortal para as borboletas monarca, estimulando os ambientalistas a renovarem exigências para restringir mais rigidamente esse cultivo.

O estudo, publicado na revista Oecologia, surge pouco depois de a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos lançar sua análise defendendo a segurança das plantações de milho e algodão modificados para conterem um gene que combate pragas.

Segundo os pesquisadores John Obrycki e Laura Hansen, as chances de as lagartas das borboletas monarca multiplicavam por sete sua chance de morrer quando se alimentavam em plantas carregadas com o pólen do milho transgênico Bt, comparado com o milho convencional.

Bactéria - Bt é a abreviatura de Bacillus thuringiensis, uma bactéria do solo que age como pesticida. O gene foi inserido em milhares de hectares de plantações americanas de algodão e milho para repelir a broca do milho 
européia e outros tipos de pragas.

Os pesquisadores colocaram vasos com plantas dentro de milharais transgênicos e em volta deles para simular condições naturais de ocorrência.

O pólen dos vegetais transgênicos também pousou em plantas próximas, incluindo aquelas que servem de alimento para insetos inofensivos como a monarca.

O estudo de Iowa analisou o impacto nas larvas de dois tipos do milho Bt desenvolvidos pela empresa Novartis e vendidos sob os nomes NatureGard e tribute. A Novartis defendeu a segurança de seu produto, alegando que o estudo não duplicou condições reais. (Reuters).
 
 Estado de São Paulo, 22 de agosto de 2.000

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se