Lavouras de soja começam a ser vistoriadas no Estado

Fiscais do Ministério da Agricultura já estão a campo

SILVANA DE CASTRO/ Casa Zero Hora/Missões

O Ministério da Agricultura deflagrou ontem o início das vistorias às lavouras de soja do Rio Grande do Sul. Dezoito fiscais agropecuários deverão percorrer as regiões produtoras para verificar se os agricultores que plantaram transgênicos assinaram o termo de compromisso, exigido na Lei 11.092, que regulariza o plantio e comércio de soja transgênica na safra 2004/2005.

Até ontem, a Superintendência Federal da Agricultura no Estado havia recebido 110 mil documentos. A previsão é de que o número chegue a 120 mil, conforme o superintendente federal da Agricultura, Francisco Signor. No ano passado, 82 mil sojicultores gaúchos assinaram o termo de compromisso.

Os fiscais levam com eles um kit para detecção da transgenia. O resultado sai na hora. Caso o agricultor não tenha firmado a documentação e o resultado indique que ele cultivou soja modificada geneticamente, será multado em R$ 16,1 mil. Na safra anterior, das 400 propriedades vistoriadas por amostragem, 80 foram notificadas. Conforme Signor, neste ano, devem ser visitados mais de mil produtores, em dois meses ou mais.

- Temos que ter uma produção disciplinada, saber o que vamos colher de transgênico e o que será convencional. Não é para fiscalizar, mas disciplinar a atividade - justifica Signor.

Na tarde de ontem, os fiscais ainda iriam dividir as tarefas. O início estava previsto na principal região produtora de soja no Estado, em municípios como Passo Fundo, Cruz Alta, Ijuí e Santa Rosa.

- Se o tempo continuar assim, sem chuva, não haverá mais necessidade de se fazer vistoria. O dinheiro será gasto à toa - diz o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Entre-Ijuís, João Felipin. Ele argumenta que a seca já provocou quebra de 60% nas lavouras de soja do município. Só em Entre-Ijuís, mais de mil produtores declararam o plantio do grão geneticamente modificado, o que significa mais de 90% dos sojicultores segundo Felipin.

( [email protected] )

Fonte:Zero Hora, Porto Alegre, 22 de fevereiro de 2005. Campo e Lavoura

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se