Transgênicos: Ministério da Agricultura diz que não admitirá milho ilegal no RS

Porto Alegre, 17 - O superintendente do Ministério da Agricultura (Mapa) no Rio Grande do Sul, Francisco Signor, disse há pouco que o órgão não permitirá, com o milho, "o desrespeito à lei" que ocorreu com a introdução de soja transgênica no Estado - disseminada a partir de contrabando da Argentina. "Tudo o que estiver fora da legalidade, não vamos permitir que avance", acrescentou, ao comentar denúncia feita ontem pelo deputado estadual Frei Sérgio (PT) de venda ilegal de sementes de milho transgênico no norte gaúcho. O deputado é ligado ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e crítico dos transgênicos.

Signor disse que o Mapa irá investigar as informações divulgadas pelo parlamentar. Ele observou que existem boatos sobre a existência do produto, mas até agora nada foi detectado pelo Mapa. Signor também ponderou que pode acontecer um caso isolado. O Mapa recolhe grande quantidade de produtos de origem animal e vegetal nos postos de fronteira e aeroportos que não tem autorização de trânsito e são transportados até mesmo por turistas que ignoram as regras sanitárias, lembrou o superintendente.

O deputado divulgou ontem, em pronunciamento na Assembléia gaúcha, resultado de exame feito pelo laboratório Alac, com sede em Garibaldi (RS), indicando a presença de 27,5% de transgênicos em amostra de produto adquirido como semente de milho em Barão do Cotegipe, na região norte do Estado.

Ele disse ter recebido, há duas semanas, informações anônimas da venda de milho geneticamente modificado e pediu a um agricultor que comprasse a semente na cidade gaúcha. Após a compra, enviou uma amostra ao laboratório, que identificou a presença de grãos geneticamente modificados. Esta não foi a primeira denúncia que o deputado disse ter recebido sobre a existência de milho transgênico no Estado, mas em ocasião anterior ele afirmou que o teste teve resultado negativo.

Frei Sérgio pediu providências ao Mapa e encaminhou representação ao Ministério Público Federal. No MPF, a questão ficou a cargo do procurador de Erechim (cidade vizinha à Barão do Cotegipe), Mário Sérgio Ghannage Barbosa. Ele informou que recebeu uma amostra do produto e irá enviá-la para perícia. Depois do laudo, disse que o MPF irá tomar as medidas cabíveis, sem dar detalhes do procedimento.

O evento transgênico detectado na amostra, conforme o laboratório, é denominado GA21. A Monsanto é detentora da patente tecnológica, que fornece ao produto resistência ao herbicida Roundup Ready (RR GA21). A empresa afirmou, por intermédio de sua assessoria de imprensa, que desenvolveu a tecnologia, mas licencia a produção, a exemplo do que ocorre com a soja.

Fonte - Sandra Hahn, in Estadão Online em 21/11/2005

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se