China diz que não barrará soja

DE PEQUIM

O governo da China se comprometeu a não rejeitar carregamentos de óleo de soja em bruto do Brasil, ainda que o produto tenha quantidade de solvente superior à permitida pela legislação chinesa.

O compromisso foi assumido pelo diretor-geral do Escritório de Segurança Alimentar do Ministério da Quarentena, Li Yanping, depois de dois dias de reuniões com representantes do governo e de produtores brasileiros.

A delegação do Brasil pediu alteração de circular editada em outubro, segundo a qual os carregamentos de óleo de soja podem ter no máximo 100 mg de resíduo de solvente por quilo do produto, nível considerado excessivamente baixo pelos exportadores. O solvente (exano) é usado para separar o óleo da parte sólida da soja. Na última etapa de refino, na qual a temperatura atinge 200 C, o solvente é totalmente evaporado.

O Brasil vende à China US$ 450 milhões de óleo de soja em bruto, o que corresponde a 30% das exportações do produto.

fonte: Folha de São Paulo, sexta-feira, 21 de janeiro de 2005 - Dinheiro

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se