ESTUDO AFIRMA QUE GENES DA SOJA TRANSGÊNICA "SOBREVIVEM" À DIGESTÃO

ESTUDO AFIRMA QUE GENES DA SOJA TRANSGÊNICA "SOBREVIVEM" À DIGESTÃO

Parte dos genes introduzidos na soja transgênica subsiste, tal como o DNA da soja natural, após a digestão no intestino delgado, desaparecendo apenas no intestino grosso, revela estudo publicado na revista "Nature Biotechnology".

Segundo os resultados da pesquisa, é altamente improvável que a transferência de genes alterem as funções digestivas ou constituam um risco para a saúde humana, apontam Trudy Netherwood e seus colegas da Universidade
de Newcastle, no Reino Unido.

O consumo de transgênicos suscitou dúvidas sobre o risco de transferência para a flora intestinal dos genes introduzidos nos alimentos, o que supunha que o DNA das plantas pudesse "sobreviver" no interior do tubo digestivo, explicam os pesquisadores.

Por outro lado, a transferência de genes que conferem resistência aos antibióticos poderia aumentar o número de microrganismos patogênicos para o homem, que resistiriam aos medicamentos, acrescentam.

Seqüências de DNA provenientes de células vegetais foram encontradas nos tecidos de frangos e nos linfócitos de vacas alimentadas com milho geneticamente modificados ou milho natural, segundo trabalhos publicados em 2001 na revista "European Food Research and Technology", explicam.

No caso do homem, o estudo mostra que a soja transgênica é totalmente degradada no cólon. Mas, para surpresa dos cientistas, o gene "Epsps" (que confere resistência a um herbicida) subsiste em parte após a passagem dos alimentos pelo intestino delgado de voluntários que aceitaram comer soja geneticamente modificada.

A pesquisa foi feita com 12 pessoas que tinham o aparelho digestivo intacto e outros sete que sofreram a ablação completa do cólon e tinham uma bolsa para recolher de fezes. Estes sete participantes operados tinham genes"Epsps" nas suas fezes, em proporções variáveis.

Três dos sete indivíduos operados já tinham genes ou fragmentos de genes de soja transgênica na sua flora intestinal, embora em pequena quantidade, antes mesmo de começar a experiência, que consistiu em engolir uma grande quantidade de soja geneticamente modificada numa só refeição --hamburgers e batido de leite com soja--, segundo os pesquisadores.

A quantidade de genes "Epsps" encontrados no seio das bactérias do tubo digestivo não aumentou depois daquela refeição, o que levou os cientistas a concluírem que não houve nenhuma nova transferência de genes.

fonte:(Folha On Line com Agência Lusa em 20/01/2004

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se