Produtores rejeitam preço dos royalties da soja transgênica

 

Representantes dos produtores de soja do Rio Grande do Sul estiveram reunidos nesta terça-feira (19-10) na sede da Farsul, em Porto Alegre (RS), para debater a cobrança dos royalties da safra 2004/05. A conclusão é que ainda não há um preço definido a ser cobrado do produtor. O valor acertado na safra 2003/04 foi de R$ 0,60 pela saca de 60 quilos, 50% abaixo do que pedia a Monsanto, detentora da patente da soja Roundup Ready (RR). Para essa temporada, a multinacional estipula os mesmos R$ 1,20 pela saca.

“O valor de R$ 0,60 foi apenas para a safra passada, porém ainda não há uma definição para a de 2004/05 e também nenhum acordo entre as partes”, afirmou o presidente da Farsul, Carlos Sperotto. Ele ressaltou que serão feitas reuniões com a FecoAgro e a Fetag/RS para acertar um possível valor. A partir das reuniões entre os setores do Rio Grande do Sul será criado um grupo de trabalho formado com um representante de cada região para tratar desse assunto diretamente com a Monsanto.

Além dos representantes gaúchos, a Farsul pretende estender essa discussão para outras federações de Estados onde foi verificado o uso dessa tecnologia. “Temos a visibilidade que o plantio se estende por todo o país e que deve existir a cobrança”, destacou o dirigente. Somente após uma definição entre as entidades brasileiras é que será apresentado um número à multinacional. A área da safra 2004/05 de soja transgênica no Rio Grande do Sul deve atingir 90% do total. Para o Brasil, a Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja) trabalha com o número de 33%.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

20/10/04

a
Giuliano Mendes
fonte: Agrolink

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se