LusaTV:Sevinate Pinto preocupado com entrada de transgénicos no mercado

DATA: 20/05/2004.

ASSUNTO: Apresentação do Plano Nacional para o Desenvolvimento da Agricultura Biológica.

TEMA: nacional.

DURAÇAO TOTAL: 04:31.

EMISSAO:20:08.

RESTRIÇOES: s/r.

TIPO: Som Nat./Português.

fontE: LusaTV.

LOCAL: Auditório do IPIMAR.

VIVO 1:Sevinate Pinto, ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas - Duração:01:09.

VIVO2:IDEM - Duração:01:21 DESCRIÇAO DOS PLANOS:

01-Panorâmica sala.

02-Ministro.

03-Folheto.

04-Fruta e ministro.

05-Crachá.

06-Assistência.

07-Fruta e slide.

08-Ministro.

09-Sala.

10-Assistência.

11-Mesa.

12-VIVO 1.

13-Plano de corte.

14-Vivo 2.

15 e 16-Jornalistas e ministro.

TEXTO: Lisboa, 20 DE Mai (LusaTV) -O ministro da Agricutura, Desenvolvimento Rural e Pescas, Sevinate Pinto mostrou hoje em Lisboa preocupação com a entrada de alimentos transgénicos no mercado europeu.

"Temos tido uma posição coerente nessa matéria e por isso sempre votámos contra. Esta é uma decisão unilateral da Comissão Europeia, principalmente política devemos reagir com precaução, mas estamos preocupados", afirmou Sevinate Pinto.

O ministro falava depois da apresentação do Plano para o Desenvolvimento da Agricultura Biológica.

Actualmente, apenas 1174 agricultores fazem agricultura biológica no país, o que coloca Portugal na cauda da Europa. Um dos objectivos é que, até final de 2007, este número suba para quase cinco mil.

Com o Plano Nacional para o Desenvolvimento da Agricultura Biológica, que hoje foi lançado em Lisboa, o Governo quer incentivar o sector de forma a que, dentro de três anos, tanto consumidores como agricultores adiram cada vez mais a estes produtos.

O objectivo, garantiu Sevinate Pinto, é tentar "democratizar e massificar a agricultura biológica", que o ministro considera ser "uma boa oportunidade de negócio".

A grande meta deste plano é aumentar a área cultivada dos actuais 3,2 por cento para sete por cento até final de 2007.

Para o conseguir, são propostas 73 medidas, que vão desde a aposta no aumento da confiança e procura dos consumidores neste produtos até à revisão dos apoios financeiros a estas culturas, passando pela integração da formação em agricultura biológica nos cursos do ensino superior e do ensino profissional, pela promoção da investigação, pelo estímulo à transformação e pelo apoio à comercialização.

O Ministério da Agricultura planeia também quadriplicar os apoios financeiros, isto é, passar dos actuais quatro a cinco milhões de euros atribuídos anualmente aos agricultores - através dos programas Agro, Agris e Ruris - para 20 milhões, em 2007.

Para pôr de pé este Plano, é criada a figura de um coordenador nacional, dependente do ministro da Agricultura, Sevinate Pinto e que será Mariana Kron da Silva.

LusaTV/FIM

 

 

 


Clique Aqui para inscrever-se em nosso Boletim

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se