Produtores iniciam negociação de royalties

Depois de legalizado o plantio da soja transgênica através da Medida Provisória 223, os produtores gaúchos concentram ações, a partir de agora, na negociação do pagamento de royalties sobre o uso da tecnologia. Amanhã à tarde, na sede da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), em Porto Alegre, será realizada uma reunião para a discussão do tema. Neste primeiro encontro, estarão apenas os produtores, esclarece o presidente da federação, Carlos Sperotto. Posteriormente, a idéia é debater o assunto com a Monsanto, empresa responsável pela soja Roundup Ready.

No ano passado, houve acordo entre os agricultores e a companhia para o pagamento de R$ 0,60 para cada saca produzida. As normas do contrato ainda previam que em 2004 o valor passaria para R$ 1,20 por saca. Para o presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag), Ezídio Pinheiro, o preço fica ainda mais alto quando se leva em conta as grandes reduções verificadas nos valores da soja nos últimos meses. “O ideal seria negociar novamente, mas agora estamos nos concentrando no plantio”, ressalta. Na avaliação do dirigente, o pagamento sobre a tecnologia será simplificado quando houver a certificação das sementes geneticamente modificadas.

A Monsanto explica que pretende cobrar o que foi anunciado no ano passado, ou seja, R$ 1,20 para cada saca. “Estaremos ampliando a área de cobrança também para outras regiões do Brasil e estudando sistemas que sejam adequados às características das regiões”, conta o diretor de comunicação da empresa, Lúcio Pedro Mocsányi. De acordo com ele, a cobrança dos royalties transcorreu normalmente na safra passada. “Cerca de 99% da soja transgênica entregue foi declarada antecipadamente, evitando os custos dos testes. Isto prova que o sistema criado em parceira com todos os envolvidos funciona bem no Sul”, acrescenta.

Estimativas indicam que 90% da área plantada com soja no Rio Grande do Sul será preenchida com sementes geneticamente modificadas no período 2004/2005. Segundo levantamento da Emater, os gaúchos devem plantar 4,121 milhões de hectares este ano, uma evolução de 3,43% sobre o plantio do ano passado. No verão deste ano, a produção acabou afetada pela estiagem e chegou a 5,388 milhões de toneladas.

fonte:Jornal do Comercio Porto Alegre, em 18/10/2004

Leia Mais:

Mais notícias   Associe-se