Notícias publicadas ou recebidas em 18/06/2000

Reunião da CTNBio avalia milho importado

 

BRASÍLIA - Os 36 membros da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) vão fazer uma reunião plenária no fim do mês para avaliar o risco da utilização de milho transgênico na alimentação humana. De acordo com a presidente da CTNBio, Leila Macedo Oda, o encontro ocorrerá nos dias 28, 29 e 30 de junho. Na ocasião, a CTNBio vai analisar os pareceres encomendados a 11 técnicos sobre os 13 tipos de milho transgênico comercializados em todo o mundo.

Esses pareceres atendem a um pedido do Ministério da Agricultura, que quer uma avaliação sobre segurança alimentar do milho importado da Argentina e dos Estados Unidos. Com a provável quebra da segunda safra, o Brasil terá de importar cerca de 1,4 milhão de toneladas de milho este ano, pelos cálculos preliminares do governo.

Análises - Para elaborar os pareceres, os técnicos - selecionados em reuniões da CTNBio feitas na quarta-feira, anteontem e ontem - vão utilizar cerca de mil páginas de documentos contendo informações e ensaios analíticos realizados em laboratórios de países onde esses tipos de milho são comercializados (Argentina, Estados Unidos, Canadá e União Européia). Cada técnico terá de emitir um parecer sobre a segurança alimentar de cada uma das variedades analisadas, num total de 141 pareceres.

"Se os dados não forem conclusivos, os técnicos vão solicitar mais informações", ressaltou Oda. "A premência das importações não influenciará na análise das informações", acrescentou.

A presidente da CTNBio declarou que, no encerramento da reunião plenária, será emitido um parecer final sobre os 13 tipos de milho em relação a sua segurança alimentar. A comissão deverá recomendar ainda quais os cuidados que deverão ser tomados na entrada da mercadoria no País, para que não haja riscos ao meio ambiente. (Agência Estado)

 
O Estado de São Paulo. 17/06/2000

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se