Organismos Geneticamente Modificados - Transgênicos 


Novas normas para transgênicos 


Novas normas para transgênicos 

Empresas & Tecnologia - Agronegócios Biossegurança:

 Novas normas para transgênicos De Brasília Um ano e meio após uma determinação da Justiça Federal, a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) decidiu publicar novas normas de biossegurança para organismos geneticamente modificados. Publicada no Diário Oficial da União de terça-feira, a Instrução Normativa nº 20 cria normas mais detalhadas para a avaliação da segurança alimentar dos transgênicos e atende à decisão do juiz Antônio de Souza Prudente. Na sentença de proibição da liberação comercial da soja "Roundup Ready", ele exigiu a elaboração de normas específicas para análise da segurança alimentar, comercialização e consumo de alimentos transgênicos. A nova regra detalha normas para produção, importação e comercialização de transgênicos. Haverá uma série de questões e minúcias para a liberação como, por exemplo, se os alimentos derivados de animais alimentados com transgênicos "in natura" ou processados apresentam alterações na composição química ou características nutricionais. Mesmo com grande tempo para a publicação, alguns especialistas já questionam a norma. Sílvio Valle, coordenador de Biossegurança da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), diz que a medida é restrita apenas a vegetais. "A sentença do juiz Prudente determinou normas para alimentos e não somente para vegetais", defende. De acordo com ele, a CTNBio colocou na "ilegalidade" os produtos à base de milho importados dos Estados Unidos e da Argentina. (MZ)

fonte:Valor Econômico, Sexta-feira, 18 de janeiro de 2002


Transgênicos serão liberados 

Deputado da Comissão de Agricultura afirma que decisão desrespeita o Congresso 

O governo abriu caminho para liberar a importação, plantio e comercialização de transgênicos e, de quebra, provocou o protesto de parlamentares que ainda não votaram o projeto de regulamentação dos produtos. A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) anunciou que está autorizada a emitir pareceres favoráveis à comercialização. Integrante da Comissão de Agricultura da Câmara, o deputado João Grandão (PT-MS) acusou a comissão de desrespeitar o Congresso com a decisão. A CTNBio se baseia em instrução normativa publicada esta semana com as regras para avaliar a segurança alimentar de sementes geneticamente modificadas. O texto cobra garantias contra alergias e toxicidade dos transgênicos. Foi redigida para atender à Justiça Federal que, há dois anos, determinou a publicação de normas de segurança para autorizar o plantio de soja pela multinacional Monsanto. Para a secretária-executiva da CTNBio, Cristina Passos, a decisão colocou por terra as resistências jurídicas à venda de transgênicos em larga escala. Colocar os produtos geneticamente desenvolvidos no mercado brasileiro, diz ela, agora "é decisão de política agrícola". O ministro da Agricultura, Pratini de Morais, já disse ser favorável à medida.

HUGO MARQUES BRASÍLIA - 

  Jornal do Brasil, 18/JAN/2002 BRASIL 


 RS discutirá exportação de soja não-transgênica 

O painel 'Exportação de Soja para a Europa: o Desafio da Certificação' será realizado no próximo dia 29, no auditório do BRDE. A promoção é da Secretaria da Agricultura do Estado e do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). O encontro discutirá como estabelecer uma relação de confiança na comercialização de grãos entre produtores gaúchos e consumidores europeus. O RS destaca-se pela produção orgânica e não-transgênica.

fonte: CORREIO DO POVO, PORTO ALEGRE, SEXTA-FEIRA, 18 DE JANEIRO DE 2002


 

  X-Sender: [email protected] X-Mailer: QUALCOMM Windows Eudora Version 4.3.2 Date: Fri, 18 Jan 2002 16:30:09 -0200 To: (Recipient list suppressed) From: David Hathaway Subject: RS: 

Painel debate certificação para soja 

Garanta já o seu e ainda ganhe cinco e-mails personalizados. 

 Boletim da Agricultura 18 de Janeiro de 2002 Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado do Rio Grande do Sul * Assessoria de Imprensa

 Painel debate certificação para soja gaúcha 

O Governo do Estado - através da Secretaria da Agricultura e Abastecimento e do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) - promove no próximo dia 29, às 9h, no auditório do BRDE, o painel "Exportação de soja para a Europa: o desafio da certificação". O evento tem como objetivo discutir uma forma transparente e segura de estabelecer uma relação de confiança entre produtores gaúchos e consumidores europeus na comercialização de grãos. Participarão do evento representantes de entidades européias e gaúchas ligadas à produção e exportação de soja. Produto de qualidade O Rio Grande do Sul destaca-se no cenário nacional e internacional como sinônimo de segurança alimentar pela qualidade de sua produção de grãos orgânica e não transgênica. Entretanto, para manter e ampliar sua posição de destaque, é preciso buscar possibilidades de comercialização que proporcionem ganhos econômicos diferenciais para estas culturas. Por outro lado, o cidadão europeu tem demonstrado cada vez mais sua preocupação com a qualidade dos alimentos que consome. Portanto, é fundamental estabelecer uma parceria comercial estratégica com este público, possibilitando ganhos importantes para os produtores e consumidores de ambos os continentes. O caso da Alemanha é exemplar: o atual governo pretende que 20% da agricultura alemã seja orgânica até 2011. Esta proposta viabiliza exportações de volumes consideráveis por parte do Rio Grande do Sul, não apenas de alimentos industrializados, mas também de insumos, inclusive para a pecuária, dentre os quais, a soja se destaca. PROGRAMAÇÃO Abertura: 9h- José Hermeto Hoffmann, secretário da Agricultura e Abastecimento do RS, e Rolf Hackbart, diretor do BRDE. Palestra: "Facilitação" 9h15 - Kerstin Lanje - Academia Evangélica de Loccum 9h30 - Wolfgang Hees - Coordenador da União Nacional de Grupos de Solidariedade ao Brasil (Alemanha) 9h45- Tamara Mohr - ONG de Both Ends dos Países Baixos 10h - Bárbara Hoppe - ONG da Urgewald da Alemanha Palestra: "Produção" 10h15 - Marco Hoffman - Sustentagro Ltda - empresa brasileira de exportação de soja 10h30- José Álvaro Pacheco - Unidade Desenvolvimento Tecnológico (UNITEC) 10h45 - Federação das Cooperativas Agropecuárias do Rio Grande do Sul Ltda (FECOAGRO) 11h - Cooperativa Central dos Assentamentos do Rio Grande do Sul Ltda. (COCEARGS) 11h15 - Vicente Bogo - Organização das Cooperativas do Estado do RS (OCERGS) Palestra: "Comercialização" 11h30 - Silvio Porto - Presidente das Centrais de Abastecimento do RS (CEASA) 11h45 - Antônio Wünch - Cooperativa Agro-pecuária do Alto Uruguai Ltda (COTRIMAIO) Palestra: "Certificação" 12h - Gabriela Ferreira - Secretaria de Agricultura e Abastecimento do RS 12h15 - João Batista Volkman - Instituto Brasileiro de Biodinâmica (IBD) 12h30 - Paulo Mendes - Associação Riograndense de Empreendimento de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER) Debate 12h45 Todos os participantes.

  X-Sender: [email protected] X-Mailer: QUALCOMM Windows Eudora Version 4.3.2 Date: Fri, 18 Jan 2002 23:03:34 -0200 To: (Recipient list suppressed) From: David Hathaway Subject: 3.2 T/h: rendimento de soja em MT bate recorde


Produtividade de soja em MT baterá novo recorde mundial - 18/01/2002

Local: Cuiabá
fonte: Midianews
Link: http://www.midianews.com.br

Mato Grosso vai bater este ano o recorde mundial de produtividade: 55 sacas por ha, em média. A previsão é do agrônomo e economista rural, Fernando Muraro, que esteve ministrando uma palestra sobre a comercialização da soja, no Dia de Campo em Sinop, promovido pela Unisoja e Fundação Mato Grosso.

Fernando coloca, ainda, que Mato Grosso representa 2% da produção mundial e que esta quantidade acaba influenciando o mercado, trata-se da "Lei da oferta e demanda". A produção do Estado gira em torno de 10,5 milhões de toneladas sendo que a metade deste total vem do Norte de Mato Grosso.

Atualmente, o Brasil tem 60 milhões de hectares de área plantada e a expectativa é que, em 2002, seja colhido um total de 42,5 toneladas de soja, o que representa um aumento de mais de 100% em doze anos.

Em Sinop, a área plantada é de 30 mil hectares que produzem, em média, 3.200 kg por hectare. A expectativa, de acordo com a Secretaria Municipal de Agricultura, é que sejam colhidos 96 mil toneladas de soja em 2002.

 

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se