Governador do PR acusa ministro da Agricultura de defender transgênicos

Há três meses aguardando uma audiência com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o governador do Paraná, Roberto Requião, decidiu apelar ao Judiciário para tentar resolver suas diferenças com o Ministério da Agricultura, que resiste em declarar o Paraná área livre de produtos transgênicos.

Requião ingressou com mandado de segurança no Superior Tribunal de Justiça para obrigar o Ministério da Agricultura a fornecer a lista de agricultores que estariam plantando soja transgênica no Estado e, ao mesmo tempo, encaminhou uma representação ao procurador-geral da República, Claudio fontelles, contra o ministro Roberto Rodrigues, acusando-o de "omissão ilegal e abusiva" e crime de "improbidade administrativa".

Ao anunciar as duas medidas sobre o caso dos transgênicos durante uma solenidade no Palácio Iguaçu, Requião disse que o ministro está usando um "artifício de má fé" contra os interesses do Paraná e do Brasil e classificou a liberação dos produtos geneticamente modificados como uma "canalhice" imposta à agricultura brasileira. O governador afirmou ainda que "o Paraná não abre mão de seus princípios".

Na representação contra Rodrigues, o governador cita que ingressou com mandado de segurança e que a posição do ministro está prejudicando o Estado. "A par da questão afeta à ilegalidade e à abusividade da omissão no fornecimento das informações solicitadas, tal atitude do ministro da Agricultura está causando graves prejuízos ao Estado do Paraná, pois dificulta a execução de medidas de controle sobre áreas e grãos com vistas a impedir a contaminação genética do território paranaense".

fonte: Jornal Paraná Online, 17/12/2003

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se