Gaúchos voltarão a plantar soja transgênica, ainda que proibida

Produtores de soja do Rio Grande do Sul deverão plantar soja geneticamente modificada novamente na próxima safra, mesmo que o cultivo continue sendo considerado ilegal, disseram dirigentes de entidades do setor e agricultores nesta terça-feira. "Nem Jesus Cristo impede o plantio de transgênicos no Rio Grande do Sul (na próxima safra)", disse Carlos Sperotto, presidente da Farsul (Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul), durante um seminário internacional realizado em Porto Alegre para discutir os organismos geneticamente modificados.

"As entidades estão trabalhando para conseguir a regulamentação (do plantio), mas a soja transgênica vai ser cultivada de qualquer maneira", afirmou Ricardo Braga, agricultor em Cruz Alta, região central do Estado.

Os argumentos a favor do plantio levantados pelos dirigentes e agricultores são de ordem econômica. Segundo eles, além do custo de produção da soja transgênica ser inferior, o prêmio pela soja convencional é praticamente inexistente. "O comprador de (soja) convencional ofereceu só 50 centavos a mais por saca", afirmou Ricardo Braga.

O setor está até aberto a pagar royalties à Monsanto, multinacional norte-americana proprietária das sementes Roundup Ready que chegaram à região atravessando a fronteira com a Argentina, onde o plantio é legalizado. "(A cobrança de royalties) é um direito a ser respeitado. Ninguém vai se negar a pagar, mas caso o valor não seja justo vamos negociar", argumentou João Telles, presidente do Sindicato Rural de Cruz Alta.

Telles diz que um outro fator que dificulta o retorno ao plantio de soja convencional é a falta de sementes. Segundo ele não haveria volume suficiente do produto no mercado para reverter toda a área cultivada com transgênicos na última safra.

A polêmica sobre o plantio de soja transgênica no Brasil deve continuar nos próximos meses. O assunto será tema de mais debates no Congresso antes da aprovação de uma legislação que regulamente o assunto definitivamente.

Atualmente, a comercialização da soja transgênica produzida no Brasil está autorizada por uma medida provisória, que prevê, no entanto, que todas as áreas que cultivaram o produto geneticamente modificado deverão retomar o plantio da soja convencional na próxima safra.

Fonte: Reuters Investor, Terça, 17 de Junho de 2003, 17h06 - Materias Primas

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se