SOJA TRANSGÊNICA ESTARIA VINDO DA ARGENTINA

Em 16/05/2000

Seminário Minas Gerais e os Transgênicos
 
DIA 29 DE MAIO
8h30
Abertura: Deputado Anderson Adauto - Presidente da Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais

Transgênicos: uma questão estratégica?
Expositores: José Hermeto Hoffman - Secretário de Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul
Márcio Carvalho Rodrigues - Assessor Econômico da FAEMG
Debate

10h30
Bioética e Manipulação Genética
Expositora: Fátima Oliveira - Diretora da Sociedade Brasileira de Bioética
Debate
Coordenador: Deputado Edson Resende

14h
O Impacto Social e Econômico das Novas Tecnologias
Expositor: David Hathaway - Economista e Consultor em Agroecologia

16h
Os Aspectos Socioeconômicos e os Impactos Ambientais dos Transgênicos
Expositores: Sérvio Pontes Ribeiro - Biólogo da UFMG
Marcelo M. Pinto - Presidente da Sociedade Mineira de Engenheiros Agrônomos - SMEA
Bernardo Van Reij - Chefe Geral da EMBRAPA Meio Ambiente
Sérgio H. Brommonschenkel - Professor Especialista em Fitopatologia e Biotecnologia Vegetal da UFV
Debate
Coordenador: Deputado Paulo Piau

DIA 30 DE MAIO

8h30
A Saúde e Direitos do Consumidor
Expositores: Luiz Eduardo Carvalho - Pesquisador do Depto. de Produtos Naturais e
Alimentos da UFRJ
Denise Cantarelli Machado - Representante da CTNBio, professora do Departamento de Medicina Interna da PUC do Rio Grande do Sul
Debate

10h30
Produção, Rotulagem e Distribuição
Expositores: Edson Teixeira Filho - Engenheiro Agrônomo e Gerente Agropecuário da PIF-PAF indústria e Comércio

Representante da Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação - ABIA
Debate
Coordenador: Deputado Hely Tarqüínio

14h
Os Aspectos Jurídicos, a Pesquisa e a CTNBio
Expositores: Sílvio Valle - Pesquisador da FIOCRUZ e Coordenador dos Cursos de
Biossegurança da Escola Nacional de Saúde Pública e da  HYPERLINK
"http://www.fiocruz.br/cict/oquee/estrutura/unidades/polit.html"  Escola Politécnica de Saúde
Gisela Alencar - Oficial de Programa da Unidade de Meio Ambiente, Energia e Ciência e Tecnologia do PNUD - Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento
Maria Teresa Correia da Silva - Consultora Jurídica do Ministério da Ciência e Tecnologia
Debate

16h30
A questão da Moratória
Expositores: Sebastião Pinheiro - Pesquisador da UFRS
Luiz Antônio Barreto de Castro - Chefe-geral da EMBRAPA Recursos Genéticos e Biotecnologia
Debate Coordenador: Deputada Maria Olívia

PROMOÇÃO
ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MINAS GERAIS

16/05/2000 - 11h47 NY TIMES: BRASIL PODE DECIDIR FUTURO DE TRANSGÊNICOS

São Paulo, 16 - Segundo o New York Times, o Brasil, segundo maior produtor de soja , depois dos EUA, pode determinar o rumo dos transgênicos no mundo quando concluir o processo, em andamento, para decidir se legaliza a nova tecnologia. Se o Brasil rejeitar a biotecnologia, as companhias norte-americanas, já atingidas financeiramente pela rejeição na Europa, sofrerão um duro golpe. Em contrapartida, se o Brasil aderir, poderá ficar difícil para o consumidor encontrar no mundo alimento livre de organismo geneticamente modificado.

Isso porque, diz o jornal, os EUA, o Brasil e a Argentina produzem 80% das 157 milhões de toneladas de soja - "safra versátil que é transformada em óleo, processada e adicionada a inúmeros alimentos". João Carlos Carvalho, presidente da Agropecuária Basso, companhia brasileira com licença para vender as sementes quando elas foram aprovadas, afirma que quando o Brasil começar a cultivar a soja transgênica "não haverá caminho de volta".

O governo brasileiro havia aprovado o uso de sementes modificadas desenvolvidas pela Monsanto em 1998, mas a decisão foi suspensa por um tribunal federal após pedido de um grupo de defesa do consumidor. O porta-voz da Monsanto no Brasil, Delmiro Silva, disse ao New York Times que espera uma decisão a respeito este ano. Porém, Linda Thrane, porta-voz da Cargill, a maior trading de commodities dos EUA, disse que a empresa não assegura que 100% dos embarques de soja brasileira sejam de produto não-transgênico. (Regina Cardeal, fim)

16/05/2000 - 11h34 NY TIMES: SOJA TRANSGÊNICA ESTARIA VINDO DA ARGENTINA
São Paulo, 16 - O agricultor Horald H. Dyer, de Iowa (EUA), que recentemente visitou o Brasil e a Argentina, disse, no entanto, ao jornal que viu no Brasil plantações de soja completamente livres de ervas daninhas, exatamente como as de suas fazendas no Iowa e Missouri, onde usa as supersementes. Outros especialistas em agricultura, tanto norte-americanos quanto brasileiros, suspeitam que as sementes modificadas estejam sendo contrabandeadas da Argentina, onde o uso de transgênicos é permitida e, no caso da soja, com cerca de 90% da safra sendo geneticamente alterada, a maior porcentagem do mundo.

Neste caso, afirma o jornal, os agricultores sul-americanos estariam usando a nova tecnologia sem pagar por ela e sem necessariamente saber como controlá-la. "Não há controles rígidos nas estradas ou nos armazens, portanto, ninguém sabe de fato quantas sementes foram contrabandeadas", diz ao jornal David Brew, parceiro da Brasoja Corretora de Cereais, de Porto Alegre. Dyer, de seu lado, afirma que, na Argentina, é permitido reaproveitar as sementes para a safra seguinte. Nos EUA, os agricultores têm de pagar a chamada tarifa tecnológica pelas sementes, que custam US$ 6,50 a mais por saca. (Regina Cardeal, segue)


Leia Mais:


Rede de Agricultura Sustentável
É um serviço de Cristiano Cardoso e L&C Soluções Socioambientais.

Siga-nos Twiiter rss Facebook "Whatsapp 88 99700 9062" Google+