Cientistas defendem biotecnologia nacional

Mais de 300 especialistas assinaram carta enviada a Lula e congressistas

Uma carta em defesa da biotecnologia nacional, assinada por mais de 300 cientistas, foi encaminhada esta semana por e-mail ao presidente da República e ao Congresso. Os pesquisadores exigem a revisão da burocracia para estudos com plantas transgênicas e o reconhecimento da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) como responsável pelo setor.

Os mais prejudicados são os projetos com plantas resistentes a insetos, vírus e bactérias, regulamentadas como agrotóxicos. "A demora, a formulação de exigências impossíveis de serem cumpridas, a burocracia excessiva e a redundância de exigências efetuadas por diferentes órgãos como a CTNBio, Ibama e Anvisa, acarretarão o completo distanciamento e o atraso do Brasil em relação a outros países competidores", afirma a carta.

Organizações não-governamentais (ONGs) também entregaram uma lista de exigências ao governo para formulação do projeto de lei dos transgênicos, que deve ser apresentado ao Congresso este mês. O documento lista seis "pontos mínimos", entre eles a exigência de estudo de impacto ambiental para toda e qualquer liberação de transgênicos e reformulação da composição e competências da CTNBio - no sentido oposto do que querem os cientistas. A carta é encabeçada pelo Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) e Greenpeace.

Em Brasília, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva determinou anteontem que a comissão interministerial que redigiu a Medida Provisória 113, para escoamento da sofra de soja deste ano, deverá voltar a se reunir na próxima semana para determinar regras de biossegurança para todo o setor. (Herton Escobar e Sandra Sato)

fonte: Estado de São Paulo, sábado, 14 de junho de 2003 - GERAL http://www.estado.com.br/editorias/2003/06/14/ger010.html

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se