Greenpeace critica: vantagem de transgênicos é 'canto da sereia'

ONG alerta para efeitos na saúde do ser humano e no meio ambiente

Gustavo Paul

BRASÍLIA. Principal trincheira contra os transgênicos, os ambientalistas não acreditam que o desenvolvimento da biotecnologia será a solução para atender a expansão da demanda mundial por alimentos. Além do pouco conhecimento sobre os efeitos da transgenia no ser humano e no ambiente, eles alegam que há risco para os produtores, que ficam à mercê dos fabricantes de sementes.

Para o diretor-executivo do Greenpeace no Brasil, Marcelo Furtado, há soluções para aumentar a produtividade:

- É preciso rever técnicas agrícolas. As vantagens apregoadas em torno dos transgênicos são cantos da sereia. A agricultura ficará nas mãos de multinacionais.

A ONG acusa as multinacionais de sementes de tentar impor sua tecnologia "como única opção aos agricultores". Segundo o Registro de Contaminação Transgênica 2007, lançado em fevereiro, houve 39 casos de contaminação no ano passado em 23 países, envolvendo arroz, milho, soja, algodão, canola e mamão papaia, entre outros. Essa contaminação prejudicaria financeiramente agricultores que optam por plantações convencionais, com selos de "pureza genética".

Para pesquisador da Embrapa, genética é a única solução

Para os defensores da transgenia, porém, a realidade é outra: fica mais barato produzir. Segundo o presidente da Associação dos Plantadores de Algodão (Abrapa), Haroldo Cunha, um recente projeto de plantação de algodão transgênico em Catuti (MG) fez a produção aumentar de 30 arrobas de algodão por hectare para 180 arrobas de uma safra para outra. A pulverização por herbicida caiu de 12 aplicações para seis:

- Os agricultores ficaram alucinados com esse resultado.

Dados do Serviço Internacional para a Aquisição de Aplicações em Agrobiotecnologia (ISAAA, em inglês), entidade financiada por produtores de sementes, apontam que na Índia a rentabilidade aumentou em até US$250 por hectare, elevando a renda dos cotonicultores de US$840 milhões para US$1,7 bilhão no ano passado. De importador de algodão em 2003, a Índia se transformou no segundo maior exportador mundial.

Para Elíbio Rech, pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos, a biotecnologia é a única solução para suprir a demanda de alimentos no mundo e reduzir custos:

- A genética é a opção viável para aumentar a produção de alimentos no mundo.

Fonte: O Globo em  06/07/2008

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se