Paranaguá será adaptado para escoar transgênico

O superintendente do porto de Paranaguá, Eduardo Requião, informou que a logística do terminal paranaense passará por adaptações para obedecer a decisão judicial que obriga o embarque de grãos transgênicos. "Vamos acatar a decisão judicial e cumprir à risca a lei da biossegurança", comentou Requião, confirmando a informação repassada durante todo o dia de ontem pela assessoria do porto, de que seria adotada uma logística diferenciada para permitir o cumprimento da liminar obtida em ação movida pela Associação Brasileira dos Terminais Portuários (ABTP).

Requião não revelou detalhes da operação que estava sendo montada ontem à tarde em Curitiba, em reunião de funcionários do porto e integrantes do governo. O procurador-geral do Estado, Sérgio Botto de Lacerda, não quis comentara decisão da ministra Ellen Gracie, do Supremo Tribunal Federal (STF), que na segunda-feira indeferiu pedido do governo do Paraná para suspender a liminar da ABTP e manteve o porto aberto aos transgênicos. Sem o apoio do STF, a administração do porto terá de cumprir determinação da juíza federal substituta de Paranaguá, Giovanna Mayer, que fixou em R$ 5 mil a multa diária pelo descumprimento da liminar.

Ontem, os caminhões com grãos transgênicos que foram até o pátio de triagem não foram barrados. De acordo com o advogado Cleverson Teixeira, que defende a ABTP, foi realizada a classificação da carga de 17 veículos, mas o despacho final não foi feito. "Entramos com nova petição para que ajuíza tome as medidas subseqüentes", contou Teixeira. "Nosso interesse não é em multas", disse.

 

Fonte: Valor Econômico, 12/04/2006 em via CIB - Agronegócios, B- 15 - Marli Lima

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se