Governo Federal regulamenta transgênicos junto às unidades de conservação



Acabou a polêmica sobre as faixas de proibição de plantio e cultivo de transgênicos em áreas vizinhas ao Parque Nacional do Iguaçu, na região Oeste do Paraná. O governo federal publicou no Diário Oficial desta terça-feira (1) um Decreto e uma Medida Provisória regulamentando a extensão das áreas vizinhas às unidades de conservação ambiental onde é proibido plantar transgênicos. “O governo regulamentou a lei que dizia que o plantio era proibido numa faixa de até 10 quilômetros. Essa era uma reivindicação do agronegócio paranaense e foi levada por nós ao presidente da República, que nos atendeu”, afirma o vice-governador licenciado, Orlando Pessuti.

A medida do governo federa tranqüiliza os agricultores vizinhos ao Parque Nacional do Iguaçu, que agora têm uma referência clara sobre onde podem ou não cultivar soja e algodão geneticamente modificados. A partir de agora é proibido plantar soja transgênica numa faixa de 500 metros a partir do perímetro da área de conservação ambiental.

No caso do algodão transgênico, a faixa de proibição do cultivo é de 800 metros. A faixa para algodão sobe para 5 quilômetros se na unidade de conservação existir ancestral direto ou parente silvestre do algodão geneticamente modificado.

Pessuti avalia que a definição veio na hora certa. “Foi importante que isso acontecesse agora, pois já estamos iniciando o plantio da safra”, observa. “Todas as questões envolvidas foram devidamente analisadas pelo governo federal. É importante que o agricultor paranaense tenha tranqüilidade nesse momento do plantio”, acrescenta.

Fonte:Agência Estadual de Notícias (Paraná), 01/11/2006


Leia Mais:



SIGA NOS

-->