MONSANTO AMEAÇA O BRASIL

Aí está uma evidência de como o Brasil é vulnerável, e de como nossas autoridades diplomáticas têm que ser duras em qualquer negociação com os EUA. Daqui para frente, situações como esta serão muito freqüentes. Em repúdio à iniciativa deste presidentezinho da Monsanto, nosso governo deveria caçar seu visto de permanência profissional, dando-lhe o prazo de 24 horas para se retirar do País.
Luiz Renato Silva
[email protected]
Gaspar - SC

Presenciamos o desespero dos “Golias do Primeiro Mundo” quando se deparam com o poder de fogo e a alta capacidade produtiva dos países emergentes. O motivo de tamanho abuso é devido ao fato de eles estarem acostumados à exploração, conseguindo lucros gigantescos sem colaborarem verdadeira- mente para o desenvolvimento humano.
Prisco Tarquínio
[email protected]
Dourados - MS

O que importa é que possamos criar um movimento boicotando todos os produtos comercializados pelo grupo a que pertence a Monsanto, a fim de fazê-los sentir na própria pele o gosto amargo do veneno que usam. Fazer com que eles se sintam intimidados da mesma forma com que tentam nos intimidar.
Vinicius Pardini
[email protected]
São Paulo - SP

A Monsanto deve pagar pelos danos que esta carta porventura possa causar à exportação de soja deste ano. Os problemas internos deles não são, e nunca serão, motivos justificáveis para tentar colocar o Brasil em posição desfavorável frente aos importadores. Se eles tinham medo de perder os royalties dos produtores americanos, que fiquem com medo da resposta do governo brasileiro.
Carlos Martins
[email protected]
São Paulo - SP

A Monsanto está desesperada. Como li, recentemente,“o Brasil é o fiel da balança dos transgênicos”. Os organismos geneticamente modificados dificilmente passarão no País. Por que apostar no obscuro se estamos vencendo as batalhas da produção, da produtividade e da exportação?
Luiz Balcewicz
[email protected]
Curitiba - PR

Sou filho de pequeno produtor agrícola. Pequeno, vi meu pai derrubar muitos pés de café, pois o trabalho árduo no plantio não compensava o preço pago pela saca. Até quando iremos ficar de braços cruzados diante dos americanos? Eles sabem do nosso potencial agrícola, logo iremos ultrapassar sua produção.
José Carlos de Almeida
[email protected]
Manaus - AM

Fonte: IstoÉ Dinheiro - CARTAS Quarta-feira, 02 de Julho de 2003

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se