Soja transgênica já supera em plantio a soja convencional

O balanço anual preliminar do Serviço Internacional para a Aquisição de Aplicações de Agrobiotecnologia (ISAAA) informa que, pela primeira vez, o plantio da soja geneticamente modificada excedeu o da convencional. Do total de 72 milhões de hectares cultivados com a oleaginosa em todo o mundo em 2002, 51% (36,5 milhões de hectares) foram de variedades geneticamente modificadas, contra 35,3 milhões de hectares das convencionais. Na China, o algodão transgênico também superou o algodão convencional. A área mundial de organismos geneticamente modificados cultivados (OGMs) cresceu 12% (6,1 milhões de hectares) de 2001 para 2002, alcançando 58,7 milhões de hectares (um quinto da área total plantada no mundo).

No ano passado, 16 países produziram OGMs, três a mais que em 2001. Os mais recentes são a Índia, que passou a plantar algodão transgênico, numa área de 45 mil hectares; a Colômbia, que também plantou algodão Bt (resistente a insetos); e Honduras, que iniciou os cultivos pré-comerciais de milho Bt.

Assim como em 2001, quatro países foram responsáveis por 99% de toda a área cultivada comercialmente com OGMs: Estados Unidos, com 39 milhões de hectares (66% do total), Argentina, com 13,5 milhões de hectares (23%), Canadá, com 3,5 milhões de hectares (6%) e China, com 2,1 milhão de hectares (4%). A soja geneticamente modificada é ainda a cultura que ocupa a maior área total, com 36,5 milhões de hectares (62%), seguida pelo milho, com 12,4 milhões de hectares (21%), algodão, com 6,8 milhões de hectares (12%), e canola, com 3 milhões de hectares (5%).

A característica predominante das plantas geneticamente modificadas cultivadas comercialmente desde 1996 é a tolerância a herbicidas. Em 2002, soja, milho e algodão tolerantes a herbicidas ocuparam 62% da área total (36,5 milhões de hectares).

O número de agricultores que adotaram o cultivo comercial de plantas geneticamente modificadas também continua crescendo. Em 2001, eram 5,5 milhões. No ano passado, esse número chegou a 6 milhões.

Mais detalhes sobre os dados do ISAAA estão no documento "Brief nº 27", disponível na página oficial da entidade na Internet, no endereço http://www.isaaa.org.

Fonte:Jornal Cruzeiro do Sul em [ 01/02 - 00:05 ], seção AGRICULTURA

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se