Carrefour contra os transgênicos
Transgênicos - Organismos Geneticamente Modificados

 

Notícias publicadas ou recebidas em 30/06/2000

 


 

CTNBio decidirá nesta sexta-feira sobre importação de milho transgênico
 
Comissão tem dado pareceres recorrentes favoráveis à introdução dos transgênicos no mercado brasileiro. - BRASÍLIA - A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) anuncia nesta sexta-feira (30) se permite ou não a importação de milho transgênico. A decisão será divulgada depois de dois dias de debates entre os 18 cientistas que compõem o órgão, numa semana em que se acirraram os protestos contra a comercialização de produtos geneticamente modificados no país.
 
http://www.ig.com.br/home/editorial/stories/editorial_body/0,1205,186830,00.html

 

Carrefour contra os transgênicos
 
O Carrefour aderiu à guerra contra os alimentos geneticamente modificados. É a primeira vez que uma empresa do varejo no Brasil se posiciona tão claramente contra os transgênicos. A rede de hipermercados garantirá aos consumidores que todos os produtos com sua marca estarão livres de matérias- primas modificadas.

A ação tem forte apelo de marketing, num momento em que o assunto começa a ser debatido pelo grande público. O Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) e o Greenpeace encontraram em 11 alimentos industrializados comercializados no varejo traços de produtos transgênicos. O Estado do Mato Grosso do Sul acaba de apreender sementes de soja geneticamente modificada contrabandeadas do Paraguai e a Justiça manteve a proibição de plantio da soja alterada produzida pela gigante Monsanto.

Pelo menos por enquanto, por falta de legislação específica, o Carrefour no Brasil não fará o mesmo que na Europa - onde a rede não comercializa qualquer alimento transgênico em suas lojas. A restrição só vale para os produtos que levam sua marca, diz o superintendente Jean Duboc.

 
http://www.valoronline.com.br
Nº 43, Sexta (30|6) a Domingo (2|7|2000)
Marta Barcellos | De São Paulo

Carrefour faz campanha contra produto alterado
 
O Carrefour decidiu assumir no Brasil a bandeira contra os transgênicos, que já empunha há anos na Europa. Segundo o superintendente Jean Duboc, a empresa vai passar a divulgar para os clientes que todos os produtos com a marca própria Carrefour e com o selo Garantia de Origem não utilizam matérias-primas modificadas geneticamente.

Os 51 fornecedores de produtos alimentícios responsáveis pelas marcas próprias da companhia assinaram um termo de compromisso de que não utilizarão transgênicos no processo de produção das mercadorias encomendadas pela empresa.

O superintendente diz que a empresa não vai tomar a mesma atitude que tem na Europa - onde não comercializa qualquer transgênico em suas lojas - porque a legislação brasileira ainda está indefinida sobre o assunto, e não obriga a identificação deste tipo de matéria-prima nos rótulos. "Não teríamos como fiscalizar isso", afirma Duboc.

O Carrefour tratava o assunto com parcimônia, acreditando que este debate ainda não tinha chegado de fato ao consumidor brasileiro, até ser alvo de uma ação do Greenpeace, na semana passada, na qual foi flagrada a venda de produtos geneticamente modificados justamente em seus hipermercados.

O golpe pegou de surpresa a empresa, que na verdade tem todo o interesse nas restrições aos transgênicos e vinha exercendo seu lobby silenciosamente. Somente este ano, o Carrefour exportou 150 mil toneladas da soja brasileira, não modificada geneticamente, para a Europa.

A primeira das três embarcações foi inclusive recebida pelo Greenpeace na França com uma "festa brasileira", com direito a carnaval e fantasias.

Além da soja, o Carrefour busca outros produtos brasileiros, com o apelo do não-transgênico, para exportar à Europa. Já estão sendo embarcados abacaxis e até uvas de Petrolina - consumidas na Inglaterra. "Esta é uma oportunidade comercial enorme para o Brasil", defende Duboc.

 
Marta Barcellos | De São Paulo

 

Supermercados gaúchos mantêm venda de transgênicos
 
O presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), João Carlos Oliveira, disse nesta sexta-feira, que os supermercados gaúchos não devem retirar de suas gôndolas os onze produtos em que foram detectados componentes transgênicos em testes de laboratório. A retirada havia sido solicitada pelo secretário da Agricultura do Rio Grande do Sul, José Hermeto Hoffmann. O secretário pediu que os alimentos sejam retirados das prateleiras ou que seja informado, em local visível, o nome dos produtos e a quantidade de transgênicos de cada um. Oliveira argumentou não está comprovado que os produtos podem causar riscos para a saúde. A lista de onze alimentos com organismos geneticamente modificados foi formada a partir de exames encomendados pela entidade ambientalista Greenpeace e pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec).

1 ALIMENTOS
* Alimento à base de soja Soymilke
* Fórmula não láctea, à base de proteína isolada de soja, isenta de lactose e sacarose ProSobee
* Alimento para dietas de ingestão controlada de açúcares Cereal Shake Diet sabor morango
* Batata frita Pringles Original
* Alimento à base de soro de leite e proteína isolada de soja com ferro Supra Soy integral
* Fórmula infantil de seguimento à base de leite e soja, com ferro, para lactentes Nestogeno
* Salsichas tipo Viena Swift
* Macarrão instantâneo Cup Noodles sabor galinha
* Mistura para o preparo de Sopa Knorr sabor Creme de Milho Verde
* Bac'n Pieces - chips sabor bacon
* Bac'Os chips sabor bacon

 
http://www.zh.com.br
Zero Hora Agora 30/06 - 18:12

Leia Mais:

Mais Notícias   Associe-se