Projeto sobre gestão de florestas é criticado em audiência da Câmara dos Deputados

Representantes de madeireiros e silvicutores propõem mudanças no projeto do Executivo. O Projeto de Lei que autoriza a exploração de florestas públicas foi criticado nesta terça-feira (19) por representes de entidades ligadas ao setor madeireiro que participaram da audiência pública na Câmara dos Deputados, promovido pela Comissão Especial de Gestão de florestas Públicas.

O representante da CNA - Confederação Nacional da Agricultura, Agamenon Menezes, afirmou que a proposta não dá preferência às empresas locais, o que poderia privilegiar as multinacionais. Além disso, haveria lacunas no texto, como a não-definição do que são comunidades tradicionais e do que são florestas públicas, florestas ocupadas e em processo de ocupação.

Grileiros - Menezes disse ainda que "não se podem considerar todos os que ocuparam terras públicas na Amazônia como grileiros, já que muitos foram incentivados pelo próprio poder público".

Já o presidente do Sindicato das Indústrias de Transformação de Madeiras de Ji-Paraná (RO), Jurandir Almeida, afirmou que é preocupante "constatar que o projeto mantenha a filosofia burocratizante do Ibama - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis, que não ajuda a reduzir a corrupção no setor". Para ele, as exigências de estudo previstas pela proposta também aumentariam os custos para o setor madeireiro.

fonte: Agência Câmara em 19/04/2005

 

 

Página Anterior   Associe-se    

Rodapé