Instituto Terra planta 124 mil mudas de árvores nativas de Mata Atlântica em 2003
Data: 10/2/2004


Desde a sua criação, o Instituto já recuperou 30% da área total da Fazenda Bulcão e realizou trabalhos de educação ambiental e desenvolvimento rural sustentável na região

O Instituto Terra, organização não-governamental criada em 1998 por Lélia Wanick Salgado e Sebastião Salgado, com o objetivo de promover, desenvolver e implementar a conservação e o reflorestamento da Mata Atlântica no Vale do Rio Doce, em Minas Gerais, fechou o ano com 124 mil mudas de espécies florestais plantadas em 2003, em 32 novos hectares da Fazenda Bulcão, totalizando 584 mil novas árvores plantadas em 205 has.

Sediada em Aimorés, a Fazenda Bulcão é uma propriedade privada com 676 hectares, e é a primeira Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), oficialmente aprovada em área degradada. O Instituto Terra atua em quatro frentes: recuperação e educação ambiental, pesquisa em recuperação da Mata Atlântica e desenvolvimento sustentável.

A primeira etapa do projeto foi o reflorestamento da fazenda, que já estava destruída pela agricultura e gado. Desde o início dos trabalhos, em 1999, foram contabilizados os 205 hectares recuperados com o plantio de 584 mil mudas, o que representa 30% da área total da fazenda já trabalhada. “Até o momento conseguimos atingir os objetivos do Instituto, que é garantir uma relação sustentável entre o ser humano e a floresta por meio do uso consciente das terras”, afirma Ramon Padilha, Superintendente executivo do Instituto Terra.

Dentro do programa de educação ambiental, o CERA, Centro de Educação e Recuperação Ambiental do Instituto Terra, realizou no ano passado 71 cursos e eventos sobre novas tecnologias, questões ambientais, entre outros assuntos, e contou com a participação de 1.277 alunos do estados de Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro. “Para este ano, o objetivo é criar um projeto para receber jovens formados em curso técnico-agrícola, e oferecer especialização em atividades de recuperação florestal de áreas degradadas e negócios sustentáveis”, afirma Padilha. Segundo o superintendente, para realizar esse objetivo o Instituto Terra está construindo um novo alojamento para os estudantes, em um prédio de 750 m², dotado de salas para estudos, escritórios, quartos e infra-estrutura apropriada. Além disso, foi organizada uma equipe de especialistas em educação para construção de uma grade curricular adequada a essa formação especializada, visando a recuperação de ambientes degradados.

Já na área de Desenvolvimento Rural Sustentável, o Instituto Terra realizou um trabalho junto aos produtores rurais de Aimorés. Em 2003, foram distribuídas 1.534 mudas de espécies florestais para plantio nas comunidades rurais do município de Aimorés e 30.000 mudas para o município de Governador Valadares, que foram utilizadas para a recuperação florestal. Além disso, foram realizados trabalhos nas nascentes do município, projetos de irrigação, desenvolvimento de Programa de Fruticultura, difusão de tecnologia de adubação verde e cursos de capacitação de produtores em técnicas agro-ecológicas de produção.

Informações à imprensa:

CDN – Companhia de Notícias
Christiane Suzano
(11) 3643-2704
[email protected]

 

 

Mais notícias   Associe-se    

Rodapé