Ibiúna: Produtores recuperam áreas degradadas com plantio de diversas espécies

Representantes da Coordenadoria Estadual de Biodiversidade e Recursos Naturais visitaram o município, no dia 17 de setembro, para conhecer alguns Sistemas Agroflorestais (SAFs) desenvolvidos no bairro Verava. Acompanharam o encontro membros do Banco Mundial, do Instituto de Economia Agrícola, a gestora da APA de Itupararanga, equipe da ONG SOS Itupararanga e a Prefeitura, por meio da Secretaria do Meio Ambiente.

Os Safs são sistemas de uso e ocupação do solo em que plantas nativas são manejadas em associação com plantas de outros gêneros, como agrícolas, lenhosas, arbóreas e até mesmo animais, por exemplo. Assim, o uso da terra combina interesses ecológicos com os econômicos. Com isso, o cidadão que tem interesse em recuperar uma área que estava degradada terá suporte para recompor este espaço misturando tipos de plantas, que pode gerar lucro para ele se optar, por exemplo, por árvores frutíferas (que poderão ser comercializadas) ou em alimentação para animais – unindo, dessa forma, a vegetação com integração dos bichos. "A pessoa recuperará a área e dará destinação produtiva para uso do solo", explica o engenheiro ambiental da Prefeitura.

A primeira visita foi na propriedade do agricultor orgânico João Dias, que através do Sistema Agroflorestal está restaurando, há cerca de dois anos, uma área de cinco mil metros quadrados. Dias foi um dos pioneiros no projeto em Ibiúna. Com apoio do Instituto de Projetos e Pesquisas Socioambientais (IPESA) e da Articulação Paulista de Agroecologia (APA), vem investindo em espécies econômicas. Hoje, o produtor já colhe bananas de seu SAF, além de possuir Palmeira Real e Lichia. "Percebemos a diferença no solo de sua propriedade, que antes estava degradado devido ao plantio de batata e pastejo", destaca o técnico.

A equipe fez, ainda, uma segunda visita na Fazenda Morros Verdes, onde está localizado o empreendimento SPAVentura. Lá, os membros do IPESA estão implantando três áreas experimentais, sendo elas de café sombreado, pomar agroflorestal e plantio de árvores para produção de madeiras.

Vale destacar que os peritos do IPESA são os responsáveis em apresentar as técnicas de planejamento, bem como a adesão dos proprietários para implantação e manejo da SAF, além de mostrar suas vantagens e desvantagens. "São eles que interagem com o produtor, demonstrando alternativas para aliar o retorno econômico com a recuperação ambiental, inclusive de Áreas de Preservação Permanente (APP)", comenta.

Quem se interessou no projeto e quer mais informações pode entrar em contato com a Secretaria do Meio Ambiente pelo telefone (15) 3248-9944 ou direto no site do IPESA (www.ipesa.org.br).

Fonte: Prefeitura de Ibiúna 8/10/2010

 

 

Mais notícias   Associe-se    

Rodapé