Econegócio abre caminhos em Mato Grosso

Da Redação

Embora ainda seja muito pequeno no Brasil, se comparado aos Estados Unidos e à Europa, o marketing esportivo no Brasil está em pleno crescimento. Quem afirma é o especialista em Planejamento e Operação de Eventos Esportivos, Culturais e Promocionais, Ricardo Gomes, que fará uma palestra sobre o assunto na manhã de hoje (sexta-feira), entre 10 e 11H30, no Centro de Eventos do Pantanal, onde está sendo realizada a Expo Aventura - Bons Negócios aos Extremos, iniciada ontem Com duração até o próximo domingo.

Segundo Gomes, um dos pioneiros do marketing esportivo no Brasil, com 20 anos de experiência, eventos como a Expo Aventura é o primeiro passo para a identificar qualquer ação de negócios. "E melhor ainda quando conta com entidades como o Sebrae, para fomentar e abrir portas para um segmento que irar gerar negócios e atrair turistas e novos empresários para o Estado", afirmou.

Em sua palestra, Gomes vai falar sobre o que é e a origem do marketing esportivo e o marketing esportivo no mundo e no Brasil, além de apresentar três casos de marketing esportivo em esportes de aventuras no país. Ainda hoje, entre 9 e 10 horas, o instrutor de salvamento aquático e mergulho autônomo e professor titular da cadeira de Natação da Escola de Educação Física da Polícia Militar, 1º tenente Valdir Pavão, vai apresentar a palestra Socorro de Urgência em ambiente outdoor".

Atualmente o turismo de aventura em todo o mundo cresceu 100% entre 1990 e 2000 e a previsão é de dobrar novamente esses números até 2020. Cerca de 700 milhões de turistas em todo mundo movimentam em torno de 10% do produto Interno Bruto mundial, principalmente em países como Laos, Camboja, África do Sul, Nicarágua, El Salvador, República Dominicana e Brasil.

"O ecoturismo no Brasil é recente e poucas regiões brasileiras estão preparadas para desenvolvê-lo como é o caso dos municípios de Bonito (MS) e Brotas (SP). Para se ter uma idéia, apenas 3% dos turistas americanos visitam o Brasil com essa finalidade, enquanto a Costa Rica (América Central) recebe proporcionalmente quatro vezes mais do que o Brasil", afirmou o diretor editorial da Revista Adventure, Leopoldo Junior, que ontem falou sobre "O potencial dos esportes de aventura no Brasil e sua cobertura jornalística".

Na sua concepção, o turismo de aventura (ou ecoturismo) tem que levar em consideração o desenvolvimento sustentável - isto é, ser ecologicamente correto, socialmente justo e economicamente viável. "Ecologicamente correto, porque envolve a preservação ambiental; socialmente justo, porque implica numa relação harmoniosa com os habitantes e cultura de uma determinada região; e economicamente viável, porque essa é a exigência de todo e qualquer negócio para dar certo". (Com Assessoria)

fonte:Jornal Diario de Cuiabá em 20 de dezembro de 2003

Mais notícias   Associe-se
 
   
 

 

 
->