Seminário pede manejo e certificação adequados para a Amazônia

"Manejo e Certificação Adequados para o Desenvolvimento Sustentável". Esse foi o tema do Seminário, realizado pela Rede GTA (Grupo de Trabalho Amazônico), entre os dias 26 e 28 de outubro, em Belém/PA. O evento, que também contou com a parceria do Conselho de Manejo Florestal (FSC), teve a participação de representantes do governo, empresariado, ONGs e movimentos sociais. Temas como manejo comunitário em unidades de conservação, reservas extrativistas, certificação socioparticipativa, manejo florestal empresarial e a questão socioambiental foram debatidos.

A moção final do encontro, assinada por 24 instituições, alerta para os grandes riscos existentes ao manejo sustentável da floresta e aponta providências que devem ser tomadas para o combate à destruição predatória do patrimônio amazônico. Dentre as propostas, o documento afirma que "a Amazônia Brasileira precisa ampliar imediatamente os instrumentos capazes de garantir o desenvolvimento de suas comunidades de maneira adequada à proteção da biodiversidade".

Para os/as participantes do Seminário, o manejo sustentável de recursos naturais está ameaçado pela burocracia e pela falta de integração entre programas públicos. Nesse sentido, é preciso desenvolver ações conjuntas entre governos, organizações sociais, empresas e consumidores.

Também é necessário resolver as pendências de planos operacionais de empresas e comunidades certificadas e de planos de manejo de unidades de conservação. De acordo com a moção final, "a solução desses impasses é requisito essencial para a continuidade do processo sustentável na Amazônia Brasileira. Para isso, o Governo Federal deve estabelecer um grupo de trabalho em parceria com movimentos socioambientais, Grupo de Produtores Certificados e procuradores da República para definir mecanismos de transição e retomada de atividades de manejo florestal".

A secretária executiva da RTS, Larissa Barros, participou do evento e afirma que a certificação socioparticipativa de produtos agroflorestais foi um dos principais assuntos do Seminário. "A importância dos instrumentos da certificação e da aplicação de auditagem participativa em cadeias produtivas apoiadas pela Rede de Tecnologia Social será um tema central no próximo ano, no âmbito da Rede GTA", explica. A questão também será levada para a Assembléia Geral da rede Forest Stewarship Council (FSC), em dezembro de 2005, na cidade de Manaus/AM.

AVALIAÇÃO - Na opinião do coordenador do Seminário, Rubens Palacios Soria, valeu a pena unir esforços para realizar o evento. O saldo final das articulações e dos debates é positivo. "Um exemplo ilustra esse fato: antes do Seminário, as empresas Mil Madeireiras e Gethal tinham a intenção de demitir dois mil funcionários devido às dificuldades burocráticas que estavam encontrando para realizar seus trabalhos. Ao final do encontro, seus representantes disseram que as demissões tinham sido suspensas. Eles pretendem buscar outras alternativas", explica.

A íntegra da moção final do Seminário está disponível no site www.gta.org.br. O documento ainda está em processo de subscrição. O manifesto de adesão pode ser enviado para o e.mail: [email protected]
Brasília, 18 de novembro de 2005 - Ano 1 - Nº 01
informatvo eletronico da Rede Tecnologia Social
notícias da rede

 

 

 divisao
Página Anterior Fale Conosco Recomende este site